Menu
Busca sexta, 30 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Prejuízo da TAM com acidente pode ultrapassar US$ 2 bi

25 julho 2007 - 19h27

O prejuízo econômico da companhia aérea TAM, depois do acidente com seu avião no dia 17 de julho e no qual morreram 200 pessoas, já pode ter ultrapassado os US$ 2 bilhões, disseram hoje analistas.

Após a vertiginosa queda hoje das ações ordinárias da TAM, que perderam 11,6 % na Bolsa de Valores de São Paulo, o analista Rafael Marabá, da PUC de Campinas, sustentou que "as perdas da TAM já podem estar na ordem dos US$ 2 bilhões".

"Antes do acidente o setor já enfrentava uma severa crise, agora a ameaça é a curto prazo e se começa a evidenciar cada vez de maneira mais contundente. Por mais que o setor aéreo cresça e apresente números favoráveis sustentados pelo aumento de usuários, o impacto da crise o supera", acrescentou o corretor da bolsa.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) calculou que a perda só com a desvalorização na bolsa já ultrapassou os US$ 900 milhões, enquanto os papéis ordinários, que estão por fora do índice Ibovespa, acumulam 20% de queda.

Já dentro do Ibovespa, o setor aéreo, impactado pela crise vivida no país, evidenciou como os papéis preferenciais da TAM caíram 1,6% e os do mesmo tipo da Gol, também controladora da Varig, foram os que registraram a maior baixa do dia no índice, com queda de 3,74%.

Marabá disse que o número pode chegar aos US$ 2 bilhões, levando em conta o US$ 1 bilhão por perdas ocasionadas pela deterioração de imagem e cancelamento de contratos futuros, calculados com uma fórmula britânica sem levar em conta indenizações por seguros.

Outro fator que incide no desempenho corporativo da TAM é o pedido de demissão de 70 tripulantes e a assistência psicológica solicitada por outros 100, segundo revelou um recente artigo do "Jornal do Brasil".

A Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV) disse que após um retrocesso entre 25% e 30% de março a junho, a situação se agrava agora com o cancelamento de pacotes turísticos comprados antes do último acidente.

A entidade, no entanto, se absteve de revelar números, pois esperará até o final do mês para entregar um primeiro relatório consolidado.

A crise aérea no Brasil foi desencadeada depois da colisão no ar, em 29 de setembro do ano passado, entre um Boeing da companhia aérea Gol e um jato executivo Embraer, na qual morreram os 154 ocupantes do avião comercial.

A situação se agravou com sucessivas operações "tartaruga" dos controladores aéreos, que reivindicam melhores condições trabalhistas, e provocou nesta quarta-feira a saída do ministro da Defesa, Waldir Pires, que será substituído pelo ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Nelson Jobim.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Corpo de homem sequestrado em Ponta Porã é encontrado esquartejado
FRONTEIRA
Corpo de homem sequestrado em Ponta Porã é encontrado esquartejado
BRASIL
Após reação do STF, Bolsonaro defende ações do governo na pandemia
Tatuagem ajudou identificar vítima fatal de acidente entre carro e carreta
ÁGUA CLARA
Tatuagem ajudou identificar vítima fatal de acidente entre carro e carreta
EMPREGO
Governo convoca candidatos aprovados em quatro processos seletivos
Veículo é apreendido na BR-158 com 300 celulares e outros contrabandos
APARECIDA DO TABOADO
Veículo é apreendido na BR-158 com 300 celulares e outros contrabandos
MÚSICO PRESO
Gilmar Mendes rejeita liberdade para DJ Ivis, indiciado por agredir a ex
Oito pessoas da mesma família são presas em operação contra o PCC
ASTRONOMIA
Chuvas de meteoros podem ser avistadas nas próximas madrugadas
AQUIDAUANA
Caçadores são presos e multados por caça e abate de porcos silvestres 
ELEIÇÕES
Discurso de fraude é de quem não aceita a democracia, diz ministro do STF

Mais Lidas

ACIDENTE DOMÉSTICO
Após discussão com entregador jovem acaba ferido
PEDRO JUAN
'Justiceiros' voltam a atacar na fronteira e matam adolescente
DOURADOS
Motorista que fugiu após atropelar motociclista no centro não possuía CNH
CLIMA
Dourados bate recorde de frio no ano com geada forte