Menu
Busca segunda, 06 de julho de 2020
(67) 99659-5905

Porte ilegal e disparos em via pública leva mais um à prisão

01 fevereiro 2004 - 13h14

Vilson Nascimento A Polícia Militar de Naviraí prendeu, ontem à noite, Aparecido Gomes da Silva de 31 anos, morador na rua Hermínio Tavares, no bairro Odécio de Matos, depois de receber informações, através de um telefonema anônimo, que havia um homem armado e efetuando disparos em via pública no centro da cidade. Uma guarnição da PM se deslocou para o local e, durante revista, acabou encontrando em poder de Aparecido, um revólver calibre 32, marca Taurus, com quatro munições intactas. O acusado foi detido e conduzido para um distrito policial local, onde foi autuado, em flagrante pelo crime de porte ilegal de armas, com base no Estatuto do Desarmamento. O porte ilegal de armas passou a ser crime inafiançável, sujeito a uma pena que varia de 2 a 4 anos de prisão para o infrator.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Mercado financeiro prevê queda da economia em 6,5% este ano
DOURADOS
Acidente entre moto e carro deixa homem com suspeita de fratura em uma das pernas
HOSPITAL DA VIDA
Condutor de veículo que atingiu ciclista presta depoimento no hospital
DOURADOS
Semana começa com previsão de sobe e desce de temperatura, entre 8ºC e 34ºC
IZIDRO PEDROSO
Acusado de matar secretário de Agricultura será ouvido nesta manhã
BR-163
Acidente envolvendo carro e carreta deixa duas pessoas mortas
TV DOURADOS NEWS
Como ficam as novas regras para as eleições 2020? Quem explica é o advogado Noemir Felipetto
OPORTUNIDADE
MS tem 700 vagas de trabalho; 99 delas em Dourados
IGUATEMI
Homem morre e médico desconfia de envenenamento
TRÊS LAGOAS
Menina de três anos morre em hospital após cair na piscina e se afogar

Mais Lidas

POLÍCIA
Assassinado no Izidro é secretário de Agricultura Familiar de Dourados
DOURADOS
Ex-funcionário é o suspeito de matar secretário de Agricultura
DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
“Um amigo, um conselheiro”, diz Délia após assassinato de secretário