sábado, 13 de agosto de 2022
Dourados
30°max
13°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
JUDICIÁRIO

STF manda Bolsonaro e Congresso darem informações sobre fundo eleitoral

12 janeiro 2022 - 22h20Por G 1

O ministro André Mendonça, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que o presidente Jair Bolsonaro, a Câmara e o Senado apresentem informações, em cinco dias, sobre a aprovação do valor de R$ 5,7 bilhões para o fundo que vai financiar as eleições neste ano.

O ministro é o relator de uma ação do partido Novo que contesta a medida, prevista um trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Na mesma decisão, Mendonça também estabeleceu que a Procuradoria-Geral da República e a Advocacia-Geral da União devem se manifestar sobre o caso em três dias.

"Em homenagem à segurança jurídica a ser necessariamente promovida pela jurisdição constitucional, assim como diante da relevância do acesso aos recursos do FEFC no âmbito da decisão pela migração partidária e da igualdade de chances no pleito eleitoral, demonstra-se recomendável que esta Corte aprecie de maneira colegiada o pleito cautelar aqui apresentado antes dos marcos temporais supracitados", disse o ministro.

"De todo modo, ulteriormente, na esteira de sua remansosa jurisprudência, sendo a compreensão da maioria dos membros do Tribunal, demonstra-se viável a conversão deste juízo perfunctório em decisão definitiva de mérito", completou.

Ação

Na ação, o Novo defende que seja mantido o valor inicial de R$2,1 bilhões. O partido alega que a verba precisa ser definida pelo Executivo.

A sigla também argumenta que a proposta de cálculo dos valores do Fundão, criada a partir de uma emenda apresentada durante a tramitação da LDO na Câmara, não apresenta fonte de recursos para custear a despesa bilionária prevista, o que é inconstitucional. O partido diz ainda que há uma "intenção pessoalista dos parlamentares" de aumentar o valor do fundo eleitoral.

“Não foi por proposta do Poder Executivo, que é privativa por força constitucional, a nova fórmula de cálculo para o aumento discricionário do Fundo Eleitoral ocorrido quando da aprovação do Projeto da LDO 2022 pelo Congresso Nacional, o que faz com que exista um vício de constitucionalidade formal insuperável que macula o aumento pretendido e escancara a intenção pessoalista dos parlamentares em simplesmente aumentar os recursos disponíveis para as suas campanhas eleitorais às custas do erário”, afirma o partido.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Procurado por homicídio em festa na fronteira é preso em Portugal
INTERPOL

Procurado por homicídio em festa na fronteira é preso em Portugal

MORTES NA PANDEMIA

Barroso envia à PGR acusação de vítimas da Covid contra Bolsonaro

Homem é preso com droga avaliada em mais de R$ 6 mil
IVINHEMA

Homem é preso com droga avaliada em mais de R$ 6 mil

GERAL

Juiz manda para presídio policial bolsonarista que matou petista

Polícia Militar apreende mais de 140 quilos de maconha, na MS-473
NOVA ANDRADINA

Polícia Militar apreende mais de 140 quilos de maconha, na MS-473

EDUCAÇÃO

Acadêmicos da UEMS podem se inscrever em Universidades parceiras

Empresário é preso com arma furtada de policial no Rio de Janeiro

EDUCAÇÃO

Prouni: universidades acusam MEC de atrasar dados para matrículas

CAPITAL

Prestes a casar a filha, homem morreu atropelado sem realizar o sonho

ECONOMIA

Empresas poderão renegociar dívidas com o Fisco com 70% de desconto

Mais Lidas

TRAUMATISMO CRANIANO

Madrasta de menina de 7 anos que morreu ao dar entrada na UPA é presa em Dourados

DOURADOS

Madrasta de criança morta em UPA é encaminhada para cela da Depac

DOURADOS

Acusado de raptar a ex e trocar tiros com a polícia tem alta e é levado para delegacia

INVESTIGAÇÃO

Madrasta demorou 3h para levar menina até UPA e não há registro de acionamento no Samu