quarta, 17 de julho de 2024
Dourados
10ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
POLÍTICA

Senado aprova PEC que cria cláusula de desempenho e veda coligações

04 outubro 2017 - 07h09Por Agência Senado

O Plenário do Senado Federal aprovou, na terça-feira (3), a proposta de emenda à Constituição (PEC 33/2017) que cria, a partir do resultado das eleições de 2018, cláusulas de desempenho eleitoral para que os partidos políticos tenham acesso ao fundo partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão, além de acabar com as coligações para eleições proporcionais para deputados e vereadores, nesse caso a partir de 2020.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, informou que a proposta será promulgada pelo Congresso Nacional nos próximos dias.

A PEC foi aprovada em primeiro turno com 62 votos favoráveis e em segundo turno por 58 votos a favor. Não houve votos contrários ou abstenções. Os dois turnos de votação em um mesmo dia só foram possíveis porque o Plenário já havia aprovado calendário especial para a PEC mais cedo. A criação das chamadas federações partidárias não faz parte do texto aprovado pelos senadores, pois esse instrumento foi retirado pelos deputados federais.

Já a chamada "janela" partidária, que permite que candidatos mudem de legenda seis meses antes da eleição, continuará existindo. A extinção dessa “janela” também foi rejeitada pela Câmara na semana passada.

Desempenho

Para restringir o acesso dos partidos a recursos do Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV, a proposta cria uma espécie de cláusula de desempenho, com exigências gradativas até 2030.

Só terá direito ao fundo e ao tempo de propaganda a partir de 2019 o partido que tiver recebido ao menos 1,5% dos votos válidos nas eleições de 2018 para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação (9 unidades), com um mínimo de 1% dos votos válidos em cada uma delas. Se não conseguir cumprir esse parâmetro, o partido poderá ter acesso também se tiver elegido pelo menos 9 deputados federais, distribuídos em um mínimo de 9 unidades da federação.

Nas eleições seguintes, em 2022, a exigência será maior: terão acesso ao fundo e ao tempo de TV a partir de 2027  aqueles que receberem 2% dos votos válidos obtidos nacionalmente para deputado federal em 1/3 das unidades da federação, sendo um mínimo de 1% em cada uma delas; ou tiverem elegido pelo menos 11 deputados federais distribuídos em 9 unidades.

Já a partir de 2027, o acesso dependerá de um desempenho ainda melhor: 2,5% dos votos válidos nas eleições de 2026, distribuídos em 9 unidades da federação, com um mínimo de 1,5% de votos em cada uma delas. Alternativamente, poderá eleger um mínimo de 13 deputados em 1/3 das unidades.

Nas eleições de 2030, a cláusula de desempenho imposta a partir de 2031 sobe para um mínimo de 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação, com 2% dos votos válidos em cada uma delas. Se não conseguir cumprir esse requisito, a legenda poderá ter acesso também se tiver elegido pelo menos 15 deputados distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação.

Coligações

Pela regra que acaba com as coligações partidárias em eleições proporcionais, a ser aplicada a partir das eleições municipais de 2020, os partidos não poderão mais se coligar na disputa das vagas para deputados (federais, estaduais e distritais) e vereadores. Para 2018, as coligações estão liberadas.

A intenção é acabar com o chamado “efeito Tiririca”, pelo qual a votação expressiva de um candidato ajudar a eleger outros do grupo de partidos que se uniram. Na prática, parlamentares de legendas diferentes, com votação reduzida, acaba eleito devido ao desempenho do chamado “puxador de votos”. O deputado federal Tiririca (PR-SP), reeleito em 2014 com mais de 1 milhão de votos, “puxou” mais cinco candidatos para a Câmara.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MERCADO FINANCEIRO

Dólar fecha a R$ 5,48, após falas de Lula e Livro Bege do Fed

FIANÇA

Músico acusado de disparar 12 vezes contra moto de pedreiro é liberado

Economista Cristiane Schmidt é nomeada para presidência da MSGÁS
REGIÃO 

Economista Cristiane Schmidt é nomeada para presidência da MSGÁS

Irmãos gêmeos são presos após renderem frentista para roubar posto de combustíveis
PARANAÍBA

Irmãos gêmeos são presos após renderem frentista para roubar posto de combustíveis

Cocaína é apreendida em MS dentro de cilindros de oxigênio; veja vídeo
FLAGRANTE

Cocaína é apreendida em MS dentro de cilindros de oxigênio; veja vídeo

BRASIL

Anvisa confirma novo caso de malária em navio fundeado em Santos

POLÍCIA

Menor tenta fugir de abordagem policial e é apreendida com drogas na MS-486

AQUIDAUANA

Casal suspeito de ameaçar esfaquear adolescente para roubar celular é indiciado

BRASIL

CNJ afasta desembargador que falou em mulheres loucas atrás de homens

EDUCAÇÃO

MS Supera: programa do Governo do Estado divulga resultado preliminar da fase C

Mais Lidas

DESAPARECIMENTO

Douradense desaparece após viajar a trabalho para Maracaju

CAPITAL

Grupo de funcionários responsável por furtar empresa de transporte é desarticulado

DOURADOS

UFGD oferece 293 vagas para transferência de outras universidades e portadores de diploma

CAPITAL

"MS ao vivo" traz o cantor Diogo Nogueira para apresentar novo show neste domingo