Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
DEBANDADA E RACHA NO PMDB

Geraldo alfineta colegas: "que sejam feliz em outro partido”

12 junho 2015 - 11h10

O deputado federal Geraldo Resende disse na manhã desta sexta-feira (12) que o PMDB trabalha para costurar candidatura própria para as eleições municipais de maneira coletiva e ‘cutucou’ lideranças que estão deixando o partido para integrar outras siglas visando a prefeitura no ano que vem.

Em visita ao Dourados News para falar sobre o 1º Seminário de Mobilidade Urbana que acontece nos dias 19 e 20 de junho na Câmara de Vereadores local, o parlamentar disse que trabalha de forma coletiva para construir um partido local forte e confirmou novamente que é pré-candidato ao cargo hoje ocupado por Murilo Zauith (PSB).

“Temos [PMDB] o projeto de chegar à presidência da República em 2018 e por isso precisamos nos fortalecer nos principais municípios do Estado e do país, e Dourados é um deles. Vamos trabalhar de forma coletiva para chegarmos onde almejamos. Agora, aqueles que preferem o lado individual, que visam os seus interesses e não se submetem a regras, têm toda a liberdade de seguir seu caminho e ser feliz. Eu e outros filiados ao PMDB somos pré-candidatos, mas precisamos ter regras para se escolher um nome”, comentou.

Sem citar nomes, a alfinetada foi para o radialista e ex-deputado federal [Marçal Filho](http://www.douradosnews.com.br/noticias/politica/de-saida-para-psdb-marcal-diz-que-pmdb-municipal-e-presidido-a-mao-de-ferro), que está retornando para o PSDB do governador Reinaldo Azambuja após quase duas décadas e a vereadora Délia Razuk, ainda no PMDB, mas que tem ameaçado se mudar em busca de espaço para a sucessão municipal.

Ambos teriam reclamado da maneira como a direção do partido é comandada por Resende. Marçal chegou a afirmar que o parlamentar preside o diretório com ‘mão de ferro’, conforme a coluna [Café Amargo](http://www.douradosnews.com.br/colunistas/cafe-amargo/marcal-filho-ja-marcou-data-para-posar-no-ninho-tucano) desta sexta.

Sobre a visita do ex-governador André Puccinelli na segunda-feira ao município, o deputado disse que serviu apenas para ‘ajudar na transição’ e não como interferência ou para aparar arestas do racha declarado.

“Ele [André] está com tempo e também é a maior liderança do partido em Mato Grosso do Sul. Foi uma agenda para conversarmos o projeto 2018 com a necessidade de lançarmos candidatos em todos os municípios do Estado. Há mais de 20 anos não temos candidato do PMDB em Dourados, e agora entendemos que necessitamos chegar forte”, relatou.

Em relação a quase certa manutenção da aliança com o PSB na majoritária, o deputado despistou e citou que o momento é para agregar parceiros. “Não só o PSB, mas também DEM, PSDB e outros que se uniram a nós nas eleições de 2012”, contou.


Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Modelo é estuprada sob ameaça e usa rede social para falar do crime
POLÍTICA
Maia diz que visita de secretário de Trump afronta autonomia do Brasil
CRIME AMBIENTAL
Paulista é autuado em R$ 22 mil por desmatamento ilegal de vegetação nativa
FUTEBOL
Prefeitura do Rio autoriza volta do público aos jogos no Maracanã
CAPITAL
Um dia após pedir medida protetiva, mulher tem pertences incendiados
RECURSOS NATURAIS
Egressa da UEMS desenvolve cosméticos artesanais veganos
SÃO GABRIEL
Censurado, outdoor anti-bolsonarista amanhece com Artigo da Constituição
UFGD
Inscrições ao Vestibular de Licenciatura em Letras-Libras começam 2ª-feira
BRASILÂNDIA
Após ganhar liberdade, mulher que matou homem volta para prisão
RECURSOS
União deposita R$ 20 milhões da Lei Aldir Blanc para Mato Grosso do Sul

Mais Lidas

PERIGO POTENCIAL
Vendaval pode atingir Dourados e outras 35 cidades de MS, segundo alerta do Inmet
DOURADOS
Mulher estaciona em vaga preferencial e é xingada por médico
ELEIÇÕES 2020
Convenções chegam ao fim e sete nomes são lançados à prefeitura de Dourados
FRONTEIRA
Estudante morre após procedimento estético em clínica clandestina