quarta, 29 de junho de 2022
Dourados
26°max
15°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
CIÊNCIA, TECNOLOGIA E COMUNICAÇÕES

Projeto fixa regras para perfis em redes sociais de pessoas falecidas

01 agosto 2021 - 18h20Por Agência Câmara

O Projeto de Lei 1689/21 fixa regras para provedores de aplicações de internet tratarem perfis, páginas, contas, publicações e dados pessoais de pessoa falecida.

Em análise na Câmara dos Deputados, o texto inclui as regras no Código Civil e na Lei de Direitos Autorais.

Segundo a autora, deputada Alê Silva (PSL-MG), a medida preenche um vácuo jurídico na legislação brasileira. "A proposta supre uma demanda que traz enorme insegurança jurídica na sucessão e gestão de perfis em redes sociais e outras espécies de publicações na internet de pessoas falecidas, incorporando ao Código Civil as ferramentas apropriadas para dar aos sucessores hereditários maior tranquilidade e conforto nesse momento difícil de suas vidas", disse.

Herança de perfis e arquivos
Pelo projeto, a definição de herança contida no Código Civil incluirá os direitos autorais, os dados pessoais e as publicações e interações do falecido em redes sociais e outros sítios da internet, ou seja, nos chamados provedores de aplicações de internet – definição que inclui redes sociais, arquivos na nuvem, contas de email, entre outros.

Conforme o texto, o sucessor legal possuirá direito de acesso à página pessoal do falecido, mediante apresentação de atestado de óbito. E poderá manter ou editar as informações digitais do falecido ou por transformar o perfil ou página da internet em memorial em honra da pessoa que morreu.

Proibição no testamento
O direito só não incidirá se houver vedação disposta pelo falecido em testamento, indicando que deseja que suas informações permaneçam em sigilo ou sejam eliminadas.

Será válido inclusive testamento em formato eletrônico, desde que assinado digitalmente com certificado digital pelo falecido.

Sem herdeiros
Em caso de falecimento em que não haja herdeiros legítimos, o provedor de aplicações de internet deverá eliminar o perfil, publicações e todos os dados pessoais do falecido, desde que seja informado da morte e lhe seja apresentado atestado de óbito.

Conforme a Lei de Direitos Autorais, os direitos patrimoniais do autor perduram por 70 anos, e o projeto inclui nesses direitos as publicações em provedores de aplicações de internet.

Tramitação
A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; de Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Marçal Filho recebe título de cidadão Maracajuense
LEGISLATIVO DE MS

Marçal Filho recebe título de cidadão Maracajuense

ORDEM DO DIA

Refic para quitação de débitos dos municípios é aprovado em 1ª

Contrabando avaliado em quase R$ 50 mil é apreendido em veículo abandonado
REGIÃO

Contrabando avaliado em quase R$ 50 mil é apreendido em veículo abandonado

Senado aprova MP que facilita empréstimos para produtores rurais
ECONOMIA

Senado aprova MP que facilita empréstimos para produtores rurais

POLÍTICA

TCU aprova contas do governo federal de 2021 com ressalvas

REGIÃO

Autor de furto majorado e dois receptadores são detidos em investigação

EDUCAÇÃO

Publicado resultado do sorteio para cursos de qualificação profissional do IFMS

REGIÃO

Foragido da justiça é preso com maconha durante abordagem policial

ESPORTE

UFGD está com inscrições abertas para aulas gratuitas de natação e de hidroginástica

POLÍTICA

Senado pode votar hoje pacote de medidas sobre preço dos combustíveis

Mais Lidas

DOURADOS

Jovem morre com tiro na cabeça e outro fica ferido no Terra Roxa

FEMINICÍDIO

Morre em hospital homem acusado de torturar e assassinar ex em MS

DOURADOS 

'Cansado' de traficar, jovem se apresenta em delegacia e entrega 'crack'

DOURADOS

Comerciantes que ficavam em posse de cartões de indígenas pagarão R$ 150 mil em indenização