Menu
Busca segunda, 01 de março de 2021
(67) 99257-3397
OPINIÃO

Os prefeitos e o combate à Covid-19

27 janeiro 2021 - 20h45Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Quando definiu que os governadores e prefeitos não tinham a obrigação de obedecer  determinações do presidente da República, no combate à Covid-19, o Supremo Tribunal Federal – de propósito ou até ao acaso – também estatuiu que, por  isonomia, os prefeitos não são cativos às decisões dos governadores. É uma questão lógica pois, das três esferas de poder, a única que tem a missão de executar é a municipal, já que União e Estado são entes federados que exercem o poder genericamente mas, por suas características, não põem a mão na massa. Logo, o presidente da República tem a tarefa de destinar recursos e apoio técnico genérico para os Estados realizarem a política de combate. E os Estados, como despachantes, devem aplicar bem esses recursos em hospitais e serviços e repassar aos municípios os meios e tarefas que lhes compete, para ministrarem o socorro às respectivas populações, tanto no tratamento quanto na vacinação e outros serviços.

É altamente enganosa e até perniciosa a autoridade de que se investem os governadores para promover o fechamento de atividades e definir o que cada município deve fazer em relação à sua população. Da mesma forma que o presidente da República, deveriam os titulares dos governos estaduais,  com recursos do próprio Estado mais os recebidos da União, apenas providenciar os meios - tanto financeiros quanto hospitalares – para que os prefeitos executem o socorro, conforme as condições de cada localidade. Não é o governador, encastelado a quilômetros de distância, quem sabe a necessidade do município. É o prefeito, que ali vive e para se eleger foi obrigado a conhecer tudo e, além disso, tem o dever de prestar contas do seu trabalho à população. Se der errado, é ele que sofre as consequências, ao mesmo tempo em que os outros eleitos – presidente e governador – não estão ao alcance da população. É por isso que dezenas de prefeitos paulistas, ouvindo os reclamos de sua população, que considera absurdas as  novas restrições do Plano São Paulo, decidiram flexibilizá-las, ao mesmo tempo que em muitas localidades ocorriam protestos contra as medidas.

O prefeito sabe o que uma quarentena pode causar – de bem e de mal – em sua cidade e tem condições de assumir essa responsabilidade. Os descontentes vão protestar na sua porta, não na do governador e nem na do presidente. Os governadores deveriam apenas apoiá-los. Nunca tentar obrigá-los a cumprir medidas que consideram incabíveis às suas cidades. Jamais intimá-los a cumprir medidas draconianas gestadas na capital para todo o território sem levar em consideração as diferenças regionais. Nem denunciá-los ao ministério público que, numa demonstração de que nem tudo está perdido, possui integrantes que conhecem as peculiaridades locais e, por isso, se negam a exercer a pressão peticionada.

Somos pela paz. Presidente e governadores deveriam aceitar a condição de “rainhas da Inglaterra”, sem a busca de protagonismo, mantendo a dignidade de seus postos, mas isentando-se de executar tarefas que os prefeitos, pela proximidade e conhecimento local, podem fazer melhor. Se apenas apoiarem o prefeito, prestarão melhor serviço à comunidade do que tentando abraçar tudo. Pensem nisso, sinceramente...

*dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde inicia capacitação de coordenadores municipais de controle de vetores
MATO GROSSO DO SUL
Saúde inicia capacitação de coordenadores municipais de controle de vetores
Governo reabre programa de renegociação de dívidas com a União
BRASIL
Governo reabre programa de renegociação de dívidas com a União
ATENTADO CONTRA A VIDA
Polícia impede mulher de cometer suicídio em Guia Lopes da Laguna
10 Motivos para treinar na Studio Moove Academia
SAÚDE & BEM-ESTAR
10 Motivos para treinar na Studio Moove Academia
Após dois meses com interino, servidor federal é nomeado na Secretaria de Administração
DOURADOS
Após dois meses com interino, servidor federal é nomeado na Secretaria de Administração
BRASIL
Secretários pedem toque de recolher nacional e fechamento de praias, bares e escolas
DOURADOS
Campanha quer alcançar R$ 1 milhão em imposto de renda para instituições
ECONOMIA
Auxílio emergencial e regras fiscais devem ter debates separados, defende IFI
MEDIDA
Polícia Civil publica portaria que regulamenta uso de perfis em redes sociais
PMA
Jiboia com mais de dois metros é capturada em bairro de Três Lagoas

Mais Lidas

ACIDENTE
Veículo pega fogo ao colidir em coqueiro entre Dourados e Itaporã
DOURADOS
Jovem colide moto e embriagado tenta fugir do hospital, mas é detido
PANDEMIA
Mais uma pessoa morre por covid em Dourados e casos confirmados se aproximam de 21 mil
DOURADOS
Homem é suspeito de incendiar carro de vizinho após ser mordido por cachorro