quarta, 24 de julho de 2024
Dourados
21ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
DEBATE

Operadoras poderão ser obrigadas a oferecer planos de saúde individuais

23 junho 2024 - 15h40Por Agência Senado

As pessoas que têm dificuldade em encontrar um plano de saúde individual poderão ter uma alternativa caso seja aprovado um projeto de lei que tramita no Senado sobre o assunto. Como as grandes seguradoras de saúde têm deixado de vender planos individuais, a única opção disponível para o cliente que busca um seguro privado tem sido entrar em planos familiares ou nos chamados planos de adesão.

Mas o PL 1.174/2024, do senador Romário (PL-RJ), obriga as empresas de planos de saúde a oferecer e comercializar planos de saúde individuais aos consumidores. A proposta, que altera a Lei 9.656, de 1998, está aguardando a escolha de um relator na Comissão de Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

“Atualmente, as empresas de planos de saúde obrigam, na prática, os consumidores a adquirirem planos coletivos, os quais não contam com garantias importantes aos consumidores e especificação de condições”, afirmou Romário.

Até planos vendidos por um preço inicialmente menor como sendo individuais, podem ser, na verdade, um plano coletivo. O problema é que, na hora do reajuste, a nova mensalidade fica muito acima da praticada em um plano individual. Por outro lado, os planos individuais podem ter um prazo de carência maior do que os coletivos.

Proteções

O senador carioca também explicou que a vantagem do projeto é a de garantir as duas proteções fundamentais dos planos individuais de saúde que os coletivos não possuem. A primeira é quanto ao reajuste autorizado anualmente pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que proíbe as operadoras de aplicar aumentos maiores do que os autorizados. Outra proteção é que as seguradoras não podem cancelar unilateralmente os contratos sem antes justificar e notificar os consumidores. 

De acordo com o projeto, as operadoras continuariam autorizadas a comercializar planos coletivos, empresariais e por adesão, mas teriam a obrigação legal de oferecer também a opção de planos individuais aos consumidores. Dessa forma, caberia ao cliente escolher a modalidade que lhe for mais conveniente.

"O projeto garante à população o direito de contratar um plano de saúde individual, determinando que as operadoras de saúde ofertem, necessariamente, esse produto ao consumidor", afirma Romário na justificativa do projeto.

Em 2021, a Comissão de Transparência e Defesa do Consumidor (CTFC) aprovou um projeto (PLS 153/17) do ex-senador Reguffe, que tinha o mesmo objetivo. Mas após ser enviada para a Comissão de Assuntos Sociais (CAS), a proposta foi arquivada. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL

Acusado de invadir casa de defensor público e roubar joias é preso

MERCADO FINANCEIRO

Dólar sobe e fecha aos R$ 5,65, em dia de pressão contra emergentes

Polícia Civil elucida homicídio qualificado e prende suspeito em Caarapó
NAVIRAÍ

Polícia Civil elucida homicídio qualificado e prende suspeito em Caarapó

Fiscais Estaduais doam imóvel no valor de R$ 2,5 milhões para UEMS
MUNDO NOVO

Fiscais Estaduais doam imóvel no valor de R$ 2,5 milhões para UEMS

AQUIDAUANA

Homem que matou idosa, roubou objetos para trocar por drogas

SAÚDE

Hospital de MS lança 'Dia D' de cadastro de doadores de medula

AMAMBAI 

Mulher confessa que matou marido esfaqueado durante discussão

DOURADOS

TJ/MS aprova resolução que regulamenta projeto do Juiz das Garantias

TRÊS LAGOAS

Quatro são presos por esfaquear e abandonar homem em terreno

CONFLITOS

Juiz determina que indígenas deixem área ocupada em Douradina

Mais Lidas

DOURADOS

Mais de três anos depois, Exército finaliza obras na pista do Aeroporto

DOURADOS

Expo-Flor começa na próxima semana na Praça Antônio João

DOURADOS

Aeroporto tem parte burocrática adiantada, mas Anac solicita 'pequenas correções' na pista

DOURADOS

Corpo encontrado carbonizado em rodovia é de servidor aposentado; mulher é presa na ação