Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
ELEIÇÕES 2020

Número de candidaturas femininas apresenta aumento nas eleições deste ano

29 setembro 2020 - 13h11Por Da redação

Uma primeira prévia do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informa que houve aumento no registro de candidaturas de mulheres e de negros na disputa às prefeituras e câmaras municipais.

Em análise às estatísticas publicadas pelo site na segunda-feira (28), a informação é de que dos 546.036 pedidos computados, cerca de 180 mil são mulheres – o que corresponde a cerca de 33%. Esses dados preliminares do TSE mostram um aumento nas candidaturas femininas, haja vista que esse índice não havia passado de 32% nas eleições anteriores.

Em Mato Grosso do Sul, o levantamento aponta 8.523 pedidos de registro de candidatura, dos quais 2.907 são de mulheres. Em Campo Grande, são 273 candidatas, sendo 2 para prefeita, 9 para vice-prefeita e as demais concorrem às 29 cadeiras da Câmara Municipal. Outras 31 mulheres concorrem ao cargo de prefeita em 28 municípios do interior.

A subsecretária de Estado de Políticas para Mulheres, Luciana Azambuja, destaca que o interesse das mulheres pelas questões políticas tem aumentado ao longo dos últimos anos, o que se comprova pelo aumento das candidaturas, mas ainda é baixa a representação nos parlamentos municipais, citando como exemplo a Câmara Municipal de Campo Grande:

“Aqui na capital, um município com população aproximada de 900 mil pessoas e 51,5% de mulheres, temos apenas duas vereadoras – o que representa uma ocupação inferior a 7%. Precisamos de mais mulheres nesses espaços de poder e temos a oportunidade de fazer essa mudança nas próximas eleições, garantindo a efetiva democracia representativa”.

Sobre as candidaturas no panorama estadual, a subsecretária informa que, de acordo com levantamento preliminar do TSE, aproximadamente 34% das candidaturas registradas em Mato Grosso do Sul são de mulheres:

“Estamos vendo um percentual de candidaturas superior àquele determinado na chamada “quota de gênero” imposta pela lei federal nº 9.504/97, mas precisamos trabalhar e fiscalizar para que essas candidatas estejam verdadeiramente imbuídas do senso cidadão de concorrer em condições de elegibilidade, que não sirvam apenas para cumprirem a quota. Nós, mulheres, somos 52,5% do eleitorado brasileiro, o que demonstra a importância do reconhecimento e valorização da nossa participação na política, pois somos a maioria e, repito, podemos fazer a diferença numa eleição”.

Buscando medidas para incentivar a participação da mulher na política, a subsecretária de Estado de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM/MS) tem realizado seminários e workshops gratuitos e com transmissão pelo facebook, permitindo o acesso livre a todas as pessoas interessadas. No mês de julho o seminário “Transformando a Política: Mulheres no Poder” reuniu em dois dias de atividades, especialistas e representantes da Escola Judiciária Eleitoral do TRE, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, do Ministério Público Estadual, da Procuradoria-Geral do Estado, além da ex-senadora Marisa Serrano, da senadora Simone Tebet e das deputadas federais Bia Cavassa e Rose Modesto, que contribuíram com suas experiências vividas no dia-a-dia.

Em setembro uma rodada de três workshops encerra a proposta de discutir temas como a participação da mulher na política – desafios e superação, fakenews em eleições e uso inteligente das redes sociais e, nesta quarta-feira (30), falaremos sobre a importância de termos mais mulheres na política e sobre o papel da vereadora: atribuições e competências, contando com a participação da advogada Ana Arminda Garcia dos Santos e da secretária nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Britto, que assim se manifesta sobre o tema:

“O Brasil precisa superar o cenário de sub-representação das mulheres na política, pois alcançar esse patamar implica aumentar a qualidade da democracia representativa, levando a política brasileira a um nível de harmonia entre representantes e representados condizente com a grandeza do eleitorado feminino. Quando as mulheres, além de serem esposas, mães e profissionais, conseguem conquistar mandatos políticos e cargos públicos, têm, aliadas às políticas públicas aplicadas em várias vertentes, maior chance de atuar para dirimir obstáculos que contribuem para afastar outras mulheres da política e da vida pública”.

A secretária Cristiane Britto lembra que recentemente a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres lançou a cartilha “Mais Mulheres na Política”, com o objetivo de engajar as mulheres na disputa e subsidiá-las com informações para suas candidaturas. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Mulheres são condenadas a 20 anos por execução em "tribunal do crime"
POLÍTICA
Presidente anuncia apoio para 750 mil caminhoneiros comprarem diesel
CAPITAL
Foragido da Justiça por homicídio é preso com pistola semi-automática
SELEÇÃO
UEMS e IMASUL publicam Edital para processo seletivo de bolsistas
TRÁFICO
Boliviana presa em MS despachando cocaína é expulsa do Brasil
GERAL
Fazenda informa instabilidade no pagamento do IPVA em outubro
Família Mazzaropi vendeu há 86 dias, helicóptero que caiu na fronteira
BLOGUEIRO
Moraes ordena prisão e extradição de Allan dos Santos, que está nos EUA
CAPITAL
Guarda prende "Homem-Aranha" por furto de fios em frente a shopping
DEBANDADA
Secretários de Guedes pedem demissão após tentativa de driblar teto

Mais Lidas

TRÁFICO
Mortos em queda de helicóptero com cocaína na fronteira são identificados
REGIÃO
Duas pessoas morrem carbonizadas após queda de helicóptero carregado com cocaína
JARDIM MÁRCIA
Bandidos fazem "limpa" em motel de Dourados e levam até carro
JARDIM MÁRCIA
Bêbado colide carro contra muro e acidente deixa três feridos em Dourados