domingo, 14 de agosto de 2022
Dourados
33°max
18°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Duzentos indígenas reivindicam melhoria na política indigenista

17 setembro 2004 - 15h18

Em um auditório da Procuradoria-Geral da República, em Brasília, cerca de 200 lideranças indígenas de 16 povos reivindicaram melhorias da política indigenista aos representantes do governo federal. Durante audiência pública, que durou quase seis horas nesta quinta-feira, dia 16, os índios puderam discutir com representantes do governo. Estiveram presentes autoridades da Fundação Nacional do Índio (Funai), Ministério da Educação, Advocacia-Geral da União (AGU), Fundação Nacional da Saúde (Funasa), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e Ministério da Justiça. No encontro, foram apresentadas questões como: demarcação de terras, saúde e educação indígena, impacto da monocultura de soja na terra indígena, construção de rodovias, projeto de transposição do Rio Araguaia para o Tocantins e a Hidrovia Araguaia-Tocantins. “Nós índios queremos terra, vida e respeito”, afirmou Silvio Guarani. Todos tinham uma história para contar de lutas, alegrias e tristezas. “O nosso assunto é terra. Nossos mais velhos choram porque deixaram a terra do nosso cemitério fora da demarcação. Isso dói no coração, ver o gado branco pisoteando nossos antepassados”, disse Wellinton Tapuia, de Goiás. Para Sezinho Geripankó, de Alagoas, o encontro foi positivo porque contribuiu para que os povos conquistem maior espaço. “Foi positivo porque conseguimos dar a nossa voz, falamos as nossas reivindicações”, ressaltou. Ele tem medo, porém, que tudo que foi falado caia no vazio e não tenha resposta. O índio disse que a luta é importante e que não se pode desistir. “Somos o que somos: cultura, tradição e resistência”, destacou. Luiz Soares, representante da Funai, ressaltou a necessidade de todos trabalharem juntos. “A maioria de nós anda de costas. Precisamos andar juntos. Não adianta ficar batendo de frente”. Soares contou que um dos grandes impedimentos encontrados é a questão de identificação, delimitação que, segundo ele, é uma questão interna e burocrática. Outro problema se encontra no Judiciário que, com liminares, impede a demarcação ou homologação de terras indígenas. “Primeiro porque há uma falta efetivamente de entendimento da questão indígena", acredita. “Temos que tentar fazer o poder público brasileiro, e o Judiciário faz parte disso, entender que essa questão envolve, na verdade, uma sensibilidade jurídica para o tema, uma discussão sobre isso, para que você efetivamente entregue os 12% do território e devolva (para os índios)”, afirmou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motociclista morre após colidir contra veículo que fazia conversão
SIDROLÂNDIA

Motociclista morre após colidir contra veículo que fazia conversão

EDUCAÇÃO

MEC prorroga prazo para comprovação de informações do Prouni

Bolsonarista vai para a cadeia após Justiça revogar prisão domiciliar
ASSASSINATO DE PETISTA

Bolsonarista vai para a cadeia após Justiça revogar prisão domiciliar

Dono de chácara é indiciado e multado por extração ilegal de minério

Dono de chácara é indiciado e multado por extração ilegal de minério

LIMINAR

Justiça manda YouTube excluir vídeos de caça de animais silvestres

Briga entre vizinhos termina com disparo contra caminhonete

JUDICIÁRIO

STF derruba regra do TST com punição para férias pagas em atraso

Após sete horas, polícia captura rapaz armado que entrou em surto

ARTIGO

E a economia, quem diria? O Brasil pode dar certo!, por Rodolpho Barreto

VIOLÊNCIA

Rapaz de 28 anos é esfaqueado no peito e morre em hospital

Mais Lidas

DOURADOS

Acusado de raptar a ex e trocar tiros com a polícia tem alta e é levado para delegacia

DOURADOS

Homem que trocou tiros com a polícia na Linha do Potreirito havia sequestrado a ex

EMBRIAGUEZ

Caminhonete ocupada por cinco jovens capota na BR-376

DOURADOS

Douradense contaminado com "varíola dos macacos" viajou para o Paraguai recentemente