Menu
Busca quinta, 02 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Deputado Marçal elogia a CNBB por priorizar juventude

15 fevereiro 2013 - 10h52


O deputado federal Marçal Filho (PMDB) destacou ontem a iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de eleger a juventude como tema central da Campanha da Fraternidade 2013. “A Santa Igreja foi extremamente feliz ao colocar o jovem brasileiro no centro das atenções, mesmo porque a o Brasil vai sediar a XXVIII Jornada Mundial da Juventude, que acontece de 23 a 28 de julho de 2013, no Rio de Janeiro”, enfatiza Marçal Filho.

Para o deputado, ao eleger a juventude como tema da Campanha da Fraternidade, a CNBB também chama os jovens brasileiros à responsabilidade pelos seus atos e, sobretudo, para com o futuro do país. “São os jovens de hoje que formarão os parlamentos de amanhã, que estarão ocupando cargos nas esferas legislativas e executivas, que terão o desafio de conduzir uma nação com muitos problemas ainda para serem solucionados e penso que a campanha da CNBB desperta esses jovens para os desafios que eles terão pela frente”, analisa Marçal Filho.

Ainda de acordo com o deputado, essa intenção de dar uma cachoalhada na juventude brasileira ficou clara no objetivo da Campanha da Fraternidade deste ano que é acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial, na construção da vida, da justiça e da paz. “O mais importante é que a campanha visa promover um encontro pessoal dos jovens com Jesus Cristo para, com isso, contribuir para sua vocação de discípulo missionário e para a elaboração de seu projeto pessoal de vida”, enfatiza.

Ao mesmo tempo em que enaltece essa iniciativa, o deputado também lembra que muitos jovens estão se perdendo hoje para as drogas e para a criminalidade, a maioria incentivado pela impunidade. “Não podemos esquecer que a Lei 8.069, que criou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), ao mesmo tempo em que trata da proteção integral à criança e ao adolescente, também assegura a imputabilidade penal até os 18 anos de idade”, enfatiza. “Não passa pela minha cabeça, ainda que entenda o objetivo nobre do ECA, que um jovem de 16 anos de idade não possa ser responsabilizado pelos crimes que venha a cometer”, conclui.

Para Marçal Filho, o argumento que o jovem com menos de 18 anos tem desenvolvimento mental incompleto não se justifica. “Na forma como foi concebido, o ECA foi transformado rapidamente em instrumento para o crime, de forma que não é pequeno o número de adultos que usam menores infratores para encobrir seus delitos”, ressalta. “Ao mesmo tempo, com a certeza que não poderá ser apenado com o rigor da lei, o adolescente acaba seduzido pelo mundo do crime e agrava ainda mais a problemática de segurança pública em todo o Brasil”, completa.

Outro agravante, alerta o deputado, é que o infrator com 17 anos, 11 meses e 30 dias de vida que praticar um latrocínio, crime onde alguém tira a vida de outro para roubar, também será enquadrado pelo ECA e poderá, mesmo diante da gravidade do seu ato, ficar preso, no máximo, até os vinte e um anos de idade. “Essa é minha única diferença com o Estatuto da Criança e do Adolescente e justamente por isso apresentei uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos”, finaliza Marçal Filho.

A matéria tem sido fruto de acalorados debates no Congresso Nacional e tem motivado tanto manifestações de apoio quanto de reprovação por parte dos setores organizados da sociedade. São a favor da redução da maioridade aqueles que compartilham o sentimento que a impunidade favorece o crime e são contra a proposta aqueles que usam os direitos humanos como bandeira.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Rapaz é espancado por trio após ser acusado de ‘ficar’ com adolescente
JUDICIÁRIO
STF dá 48 horas para Bolsonaro listar ações tomadas contra a Covid-19
CAMPO GRANDE
Polícia resgata duas pessoas que ficaram presas em carro sob forte sol
SOLIDARIEDADE
Campanha Online da UEMS irá ajudar alunos durante a Covid-19
COXIM
Socorrida por bombeiros, mulher arromba armário e furta morfina de hospital
MEIO AMBIENTE
Ambiental captura jiboia com mais de dois metros em residência de Coxim
RECURSOS
MPT destinou R$ 124 milhões para prevenção e combate à Covid-19
BENEFÍCIO
UFGD mantém assistência a estudantes durante suspensão do calendário
CORONAVÍRUS
Câmara aprova projeto de lei que libera remédios sem aval da Anvisa
DOURADINA
Polícia apreende meia tonelada de agrotóxicos na região da Grande Dourados

Mais Lidas

REGIÃO
Ex-assessor de Mandetta é encontrado morto em apartamento na Capital
COVID-19
Primeiro óbito por coronavírus do Estado é registrado em Dourados
NOVA ANDRADINA
Hospital confirma três profissionais com coronavírus em unidade que atendeu idosa
BOLETIM DA SES
Dourados registra mais um caso de coronavírus e MS tem 51 confirmações