Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Deputado cobra aplicação de lei que restringe posse de arma a agressores

04 março 2020 - 14h20Por Da Redação

O deputado estadual Marçal Filho (PSDB) cobra a aplicação com rigor da lei 5.437 de 2019, de sua autoria, que restringe a posse ou porte de arma dos indivíduos que praticam violência doméstica e familiar contra a mulher no Estado de Mato Grosso do Sul. "Tivemos avanços em relação às leis e às medidas protetivas, mas a aplicação ainda é insipiente. Os recursos judiciais ainda impedem resguardar o direito das mulheres vítima violência, muita vezes física, mas também verbal e psicológica”, disse o deputado ao ocupar a tribuna da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (04).

Ele chamou a atenção para o caso do Guarda Municipal de Campo Grande, foragido, e que no final de semana matou a tiros a ex-namorada e um amigo dela. Deixou ainda uma mulher ferida. A ex-companheira, uma professora, havia pedido medida protetiva 12 dias antes de morrer e fez boletim de ocorrência sobre as ameaças sofridas.

“Ainda não foi identificado se a arma utilizada no crime foi a da corporação, mas está confirmado que o agente continuava com a arma de fogo da Guarda Municipal. Isso significa que, se a lei que suspende a posse ou restrição do porte de arma aos indivíduos que praticam violência doméstica e familiar contra a mulher tivesse sido colocada em prática, a professora e seu amigo provavelmente estariam vivos”, argumentou o deputado.

Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher na Assembleia Legislativa, Marçal Filho diz que muito se fala do empoderamento feminino durante este mês março, o mês da mulher. Ele entende que há diversos avanços como a criação da Lei Maria da Penha, um passo importante dado ao enfrentamento à violência contra as mulheres, assim como os novos direitos para as trabalhadoras domésticas. “Mas ainda há um longo enfrentamento no que diz respeito à violência doméstica, ao combate do feminicídio”, alertou.

No ano passado, conforme a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, órgão vinculado do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), foram registradas 96 ocorrências de feminicídio. Desse total, 30 foram consumados e 66 na forma tentada. O que chama a atenção é que das 96 denúncias, somente 24 das vítimas registraram boletim de ocorrência e solicitaram medidas protetivas.  Somente este ano em Dourados, o deputado levantou dados de que quatro mulheres são agredidas por dia. “Isso que muitas outras não procuram a delegacia. É muito expressivo esse dado. Além disso, no país, vários crimes diminuíram os índices, mas o feminicídio aumentou 7,2%”, constatou.

Conforme o deputado, é preciso dar um basta. “É preciso denunciar desde a primeira violência sofrida. Por vezes, começa pela violência moral, desde xingamentos e humilhações, evolui para a violência psicológica, através de ameaças, chegando até os casos de lesão e mortes. Então, é fundamental denunciar e a Frente Parlamentar quer ajudar neste sentido”, argumentou.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Major da reserva da PM morre em decorrência do novo coronavírus
REPARAÇÃO HISTÓRICA
Volks faz acordo para reparar violações dos direitos humanos na ditadura
CAMPO GRANDE
Homem invade casa da ex e agride atual com socos e golpe de marreta
BRASIL
Caixa Econômica lança a "Super Sete" nova modalidade de loteria
POLÍCIA
Homem morre ao tentar invadir delegacia de Glória de Dourados
RIO DE JANEIRO
Alerj autoriza continuidade do processo de impeachment contra Witzel
DESCAMINHO
Polícia apreende carreta com cigarros e causa prejuízo de dois milhões
JUSTIÇA
Loja deve trocar produto que apresentar defeito até 6 meses de uso
PRESIDENTE INVESTIGADO
Julgamento no STF sobre depoimento de Bolsonaro será em plenário virtual
ITAQUIRAÍ
Ação conjunta prende traficante e apreende duas toneladas de drogas

Mais Lidas

DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida
PARANÁ
Traficante Elias Maluco é encontrado morto em presídio federal
PEDRO JUAN
Terror na fronteira: três veículos de luxo são incendiados em pontos distintos
PANDEMIA
Prefeitura e MPE entram em acordo para retorno das aulas presenciais na rede privada