Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
(67) 99659-5905

Delcídio defende mudanças no FPM para beneficiar municípios

08 junho 2011 - 15h10

O senador Delcídio Amaral (PT-MS), presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, defende alterações na sistemática de distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), para evitar que as cidades que apresentam pequena diminuição no número de habitantes sejam prejudicadas com a redução no volume de recursos.

Atualmente, um município que tem população até 10.188 habitantes recebe o equivalente a 0,6% dos recursos do FPM. Esse percentual sobe para 0,8% se a população atingir 13.584 pessoas.Isso porque , pelos critérios em vigor, cada faixa é um degrau múltiplo de 3.396. Qualquer acréscimo populacional inferior a múltiplos de 3.396 não se traduz em recursos adicionais para o município. Entretanto, qualquer alteração populacional, por menor que seja, que implique mudança para faixa inferior, representa redução expressiva de FPM .Só este ano, 172 municípios brasileiros tiveram redução nos repasses do FPM. Caso emblemático aconteceu com Alagoinhas (AL), que perdeu 8 moradores e, por esta razão, caiu de faixa populacional para efeito de recebimento do fundo.



"A sistemática adotada hoje é complicada e prejudica muito os municípios. Temos que aprovar o projeto nº 184/2010, do ex-senador Tião Vianna, que ajusta o repasse dos recursos em função da proporcionalidade da população. E, mesmo que você tiver um município com redução do número de habitantes de um ano para o outro, teremos regras de transição para não reduzir a verba imediatamente, como acontece agora. É um proposta bastante razoável e, com sua aprovação, teremos uma distribuição mais homogênea e
mais realista do que acontece efetivamente nas cidades brasileiras. A idéia é fazer não uma escada , mas sim uma distribuição linear , para que se tenha o FPM compatível com a população de cada cidade”, defendeu Delcídio, durante audiência pública promovida pela CAE, em Brasília,



Todos os participantes da audiência - o presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes; o subsecretário de Relações Financeiras Intergovernamentais do Tesouro Nacional, Eduardo Coutinho Guerra e o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkosky - concordam com a necessidade de se alterar o modelo.

De acordo com Delcídio, os membros da CAE vão solicitar ao presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), a indicação de um relator para o projeto do ex-senador Tião Viana para que ele tramite rapidamente e possa ser aprovado até o final do ano.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DADOS
Pandemia do coronavírus reduz em 50% doações de medula óssea em MS
POLÍCIA
Dois ficam feridos em acidente na MS-134
TURISMO
Governo federal regulamenta turismo de trilhas no Brasil
RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
PARANAÍBA
Homem quebra móveis, bate na mulher e vai preso
REGIÃO
Mulher é autuada por incêndio em sua chácara em Ivinhema
FAMOSOS
Atriz Juliana Paes está com Covid-19 e diz não ter sintomas
OPORTUNIDADE
Inscrições para 1520 vagas em cursos técnicos começam na segunda-feira
REGIÃO
Jovem tenta entregar droga para interno em hospital e é presa
SAÚDE PÚBLICA
SUS completa 30 anos com conquistas e desafios

Mais Lidas

PERIGO POTENCIAL
Vendaval pode atingir Dourados e outras 35 cidades de MS, segundo alerta do Inmet
DOURADOS
Mulher estaciona em vaga preferencial e é xingada por médico
ELEIÇÕES 2020
Convenções chegam ao fim e sete nomes são lançados à prefeitura de Dourados
FRONTEIRA
Estudante morre após procedimento estético em clínica clandestina