Menu
Busca terça, 20 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
POLÍTICA

Conselho de Ética do Senado deve decidir futuro de Aécio em novembro

22 outubro 2017 - 08h55Por Agência Brasil

Mesmo com a vitória no plenário do Senado essa semana, as polêmicas em torno do senador Aécio Neves (PSDB-MG) continuam. Na semana que vem, a expectativa é de que a Advocacia-Geral do Senado envie ao presidente do Conselho de Ética da Casa, senador João Alberto Souza (PMDB-MA), um parecer sobre a segunda denúncia apresentada pelo PT, que pede a cassação do mandato do senador tucano.

A dúvida, segundo João Alberto, é se, após o Conselho ter arquivado uma representação por quebra de decoro de autoria da Rede contra Aécio Neves, um outro partido poderia apresentar uma nova representação com o mesmo objetivo. A tendência é que a Advogacia do Senado entenda que não há fatos novos nessa segunda denúncia e recomende o arquivamento do caso.

“Parece evidente que estamos diante de um caso de quebra de decoro parlamentar. O Conselho de Ética é o foro competente para julgar isso . Há fatos novos, um segundo pedido de afastamento, que diferenciam da análise de nossa representação daquela anterior que foi arquivada. O senador Aécio terá todo direito de apresentar sua defesa, de modo que o Conselho defina o que fazer. O Senado tem de se posicionar sobre isso, independentemente dos processos que correm na Justiça contra o representado. Todos os prazos já estão esgotados e esperamos que o presidente do Conselho de Ética se posicione nos próximos dias”, disse o líder da minoria no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

Em julho, o presidente do Conselho de Ética decidiu não aceitar o pedido feito pela Rede. Após recurso, o caso foi a votação no colegiado, que confirmou o arquivamento com 11 votos favoráveis e quatro contrários.

Manobra

O pedido de parecer ao jurídico do Senado é visto pelos autores da denúncia como uma manobra do presidente do Conselho de Ética, já que, regimentalmente, não há previsão para que a Advocacia-Geral do Senado se manifeste sobre os processos do colegiado, a quem cabe exclusivamente a decisão de acatar ou não a representação.

"A petição do PT em desfavor do senador Aécio Neves (PSDB-MG) segue o trâmite de praxe no Conselho e encontra-se na Advocacia-Geral do Senado para análise e parecer.

Com o parecer, o senador João Alberto Souza terá cinco dias para "admitir ou não a representação", informou nota da assessoria do presidente do Conselho de Ética. Diante disso, o desfecho dessa segunda denúncia deve mesmo ficar para novembro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Dupla é presa ao transportar droga em “mocó” de caminhonete
ELEIÇÕES 2020
Justiça eleitoral defere o sexto registro de candidato à prefeitura de Dourados
POLÍTICA
Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
REGIÃO
Com suspeita de contágio de Covid-19 em massa, frigorífico deverá fazer testagem em funcionários
REGIÃO
Gados furtados são recuperados pela polícia e mulher é presa por receptação
DOURADOS
Motorista bêbado causa acidente em semáforo da Avenida Marcelino Pires
INOVAÇÃO
Detran-MS vai disponibilizar equipamentos de auto-atendimento em Dourados
ECONOMIA
Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos
SENADO
Senador Chico Rodrigues retifica pedido de licença de 90 para 121 dias
INFORME PUBLICITÁRIO
Restaura Jeans Dourados oferece um mix de soluções para os clientes

Mais Lidas

IDENTIFICADO
Vítima encontrada sem vida em bairro de Dourados tinha 17 anos
ACIDENTE
Criança de 3 anos se afoga em piscina de clube e socorristas tentam reanimação
DOURADOS
Homem é encontrado morto em frente residência no Parque das Nações I
ACIDENTE
Identificadas vítimas de capotamento na BR-267