quinta, 27 de janeiro de 2022
Dourados
33°max
24°min
Campo Grande
30°max
22°min
Três Lagoas
35°max
24°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
ILUMINAÇÃO ROXA

Congresso chama atenção para violência contra mulheres com deficiência

04 dezembro 2021 - 18h00Por Redação com Agência Câmara

O Congresso Nacional será iluminado de roxo até este domingo (5), em apoio à campanha “Proteção das mulheres com deficiência contra a violência”. A ação é promovida pela Frente Nacional das Mulheres com Deficiência, coletivo formado por mais de 90 ativistas.

A cor roxa simboliza as mulheres e representa o movimento internacional wethe15.org, uma campanha global em favor de 1,2 bilhão de pessoas com deficiência no mundo, lançada em agosto deste ano, sob a liderança do Comitê Paralímpico Internacional (IPC).

No Brasil, uma alteração na Lei Maria da Penha a partir de 2019 determinou maior rigor na punição de agressores de mulheres com deficiência, ao tornar obrigatória a informação sobre a condição de deficiência da mulher vítima de agressão doméstica ou familiar. A norma determina ainda que, no registro policial, conste se a violência sofrida resultou em sequela, deixando a vítima com algum tipo de deficiência ou com agravamento da deficiência preexistente.

Aumento da violência
O Atlas da Violência, publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), revela que os casos de violência contra pessoas com deficiência triplicaram em 2021. Uma pessoa com deficiência é violentada a cada hora no Brasil, sendo que o número de atentados contra mulheres é o dobro do registrado contra homens. As maiores vítimas são pessoas com deficiência cognitiva, entre 10 e 19 anos, tendo como cenário prioritário o ambiente familiar.

A notificação desses casos é dificultada por vários fatores. A vítima com deficiência cognitiva, por exemplo, pode ter dificuldade de compreender a violência sofrida. Outro fator é que a notificação geralmente depende de que algum responsável leve a vítima a uma unidade de saúde ou policial com essa finalidade, o que não ocorre caso o agressor seja o próprio responsável ou tutor.

A campanha “Proteção das mulheres com deficiência contra a violência” pretende mobilizar as brasileiras com deficiência para avançarem, junto com o poder público e a sociedade, nas providências urgentes para o enfrentamento à violência contra esse segmento.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA

Foragido, homem acusado de homicídio é capturado

Cantora gospel Ludmila Ferber morre aos 56 anos
LUTO

Cantora gospel Ludmila Ferber morre aos 56 anos

Macrorregião de Dourados continua com a maior taxa de ocupação em leitos de UTI/SUS
PANDEMIA

Macrorregião de Dourados continua com a maior taxa de ocupação em leitos de UTI/SUS

Durante levantamento e vistorias, PMA autua homem em R$ 50 mil
MEIO AMBIENTE

Durante levantamento e vistorias, PMA autua homem em R$ 50 mil

Marçal e Reinaldo assinam convênio para obra de conclusão da Colônia Paraguaia de Maracaju
AÇÃO PARLAMENTAR

Marçal e Reinaldo assinam convênio para obra de conclusão da Colônia Paraguaia de Maracaju

CONSUMIDOR

Projeto prevê descontos proporcionais na conta de luz de quem economizar

SELVÍRIA

Idoso é preso por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido

TRÂNSITO

Semáforo desligado na região central de Dourados causa transtornos para comerciantes

EDUCAÇÃO

Projeto adia a implantação total da reforma do ensino médio para 2024

POLÍCIA

Autor de homicídio no MT em 2016 é capturado em Campo Grande

Mais Lidas

DOURADOS

Homem ostenta em boate, não concorda com valor da conta e vai parar na delegacia

FURTO

Jovem abre algema e tenta fugir de delegacia em Dourados durante autuação

DOURADOS

Preso o jovem autor de pelo menos 20 furtos apenas neste ano

RIBAS DO RIO PARDO

Pai, mãe e filho morreram em colisão entre veículos na BR-262