Menu
Busca segunda, 25 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
MUDANÇAS NOS RELÓGIOS

Com crise hídrica, governo pede novo estudo sobre horário de verão

16 setembro 2021 - 22h20Por G 1

O Ministério de Minas e Energia pediu ao ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) um novo estudo sobre o horário de verão diante da "atual conjuntura de escassez hídrica". O mecanismo de adiantar uma hora nos relógios para aproveitar os dias mais longos foi extinto pelo próprio governo Bolsonaro em 2019.

O governo não informou quando a pesquisa foi solicitada, e nem se há prazo definido para a entrega das conclusões.

"Recentemente, o MME solicitou ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) que reexaminasse a questão [do horário de verão] à luz da atual conjuntura de escassez hídrica, considerando os estudos já realizados", informou o ministério em nota enviada ao jornal "Folha de S. Paulo" e confirmada pelo G1.

Na nota, o ministério reafirma a sua posição de que a contribuição do horário de verão é "limitada", não tendo identificado, até o momento, que o retorno do programa traria benefícios para redução do consumo de energia no período de pico de demanda.

"Neste sentido, a contribuição do horário de verão é limitada, tendo em vista que, nos últimos anos, houve mudanças no hábito de consumo de energia da população, deslocando o maior consumo diário de energia para o período diurno. Assim, no momento, o MME não identificou que a aplicação do horário de verão traga benefícios para redução da demanda", diz o ministério.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico afirmou que, por se tratar de um programa do governo federal, apenas o Ministério de Minas e Energia pode comentar esse assunto.

Estudo aponta economia

O Instituto Clima e Sociedade (iCS) divulgou um estudo neste mês mostrando que a economia de energia com o horário de verão seria de "2% a 3% no consumo dos meses de verão".

Se tivesse sido adotado no verão passado, o horário de verão teria economizado 2.500 a 3.800 gigawatt-hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, segundo estimativa do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) divulgada pelo Instituto Clima e Sociedade.

Associações empresariais já enviaram carta ao governo pedindo o retorno do horário de verão, pois afirmam que o programa traz benefícios aos negócios.

O decreto que revogou o horário de verão foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em abril de 2019. Na época, o governo disse que a mudança de horário não trazia economia significante de energia e mexia com o relógio biológico das pessoas.

Horário de verão

No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932, pelo então Presidente Getúlio Vargas. Sua versão de estreia durou quase seis meses, vigorando de 3 de outubro de 1931 a 31 de março de 1932.

No verão seguinte, a medida foi novamente adotada, mas, depois, começou a ser em períodos não consecutivos. Primeiro, entre 1949 e 1953, depois, de 1963 a 1968, voltando em 1985 até 2019.

O período de vigência do horário de verão era variável, mas, em média, dura 120 dias. Em 2008, o horário de verão passou a ter caráter permanente.

No mundo, o horário diferenciado é adotado em 70 países - atingindo cerca de um quarto da população mundial.

O horário de verão é adotado em países como Canadá, Austrália, Groelândia, México, Nova Zelândia, Chile, Paraguai e Uruguai. Rússia, China e Japão, por exemplo, não implementam esta medida.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem morto em troca de tiros era especialista em invadir comércios
CAMPO GRANDE
Homem morto em troca de tiros era especialista em invadir comércios
MERCADO FINANCEIRO
Dólar comercial cai para R$ 5,55 em dia de ajustes no mercado
CAPITAL
Homem é suspeito de estuprar enteada durante idas da esposa à igreja
MS lança programa para melhorar alfabetização da rede pública
EDUCAÇÃO
MS lança programa para melhorar alfabetização da rede pública
Há quase 48h sem energia, moradores relatam dificuldades em bairro de Dourados
PÓS TEMPORAL
Há quase 48h sem energia, moradores relatam dificuldades em bairro de Dourados
PORTO MURTINHO
Homem morre após perder controle de direção e cair em ribanceira
AÇÃO PARLAMENTAR
Simpósio aborda uso de tecnologias para área da Engenharia de Agrimensura
DOURADOS
Ladrões furtam botijões de gás no Harrison de Figueiredo
DOURADOS
Homens invadem sítio e furtam porcos e frangos
DOURADOS
Semed suspende aulas em turma após aluno testar positivo para Covid

Mais Lidas

CÁRCERE PRIVADO
Tentativa de sequestro a criança termina com jovem preso em Dourados
CLIMA
Vendaval atinge Dourados e deixa rastro de destruição
ACIDENTE
Morto em acidente na BR-163 voltava de festa em Caarapó
DOURADOS
Vento supera 40 quilômetros por hora e grande perigo de tempestade inicia de tarde