Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ESPIONAGEM

Cármen Lúcia pede que governo explique dossiê contra antifascistas

04 agosto 2020 - 21h50Por G 1

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia deu 48 horas, nesta terça-feira, dia 04 de agosto, para que o Ministério da Justiça e Segurança Pública preste informações sobre um relatório sigiloso com informações de quase 600 servidores públicos, a grande maioria ligada a movimentos antifascistas.

A ministra é relatora de uma ação da Rede Sustentabilidade que pede a "imediata suspensão da produção e disseminação de conhecimentos e informações de inteligência estatal produzidos sobre integrantes do ‘movimento antifascismo’ e professores universitários".

O partido também quer a "abertura de inquérito pela Polícia Federal para apurar eventual prática de crime por parte do ministro da Justiça e Segurança Pública e de seus subordinados".

Na decisão, Cármen Lúcia diz que, se o conteúdo da denúncia for verdadeiro, o quadro "escancara comportamento incompati?vel com os mais basilares princi?pios democra?ticos do Estado de Direito e que po?em em risco a rigorosa e intransponi?vel observa?ncia dos preceitos fundamentais da Constituic?a?o".

A ministra do STF diz ainda que a "inseguranc?a criada para os diretamente interessados e indiretamente para toda a sociedade brasileira" impõem que a ação tramite de modo preferencial e urgente.

Em entrevista à GloboNews no domingo (2), o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, declarou que abriria apuração interna sobre o caso. Na segunda (3), como informou o blog do Gerson Camarotti, Mendonça trocou o diretor da área supostamente envolvida na produção do documento.

O relatório

A existência do relatório foi revelada pelo UOL na semana passada. Segundo a reportagem, "o Ministério da Justiça colocou em prática, em junho, uma ação sigilosa sobre um grupo de 579 servidores federais e estaduais de segurança identificados como integrantes do ‘movimento antifascismo’ e três professores universitários”.

Ainda conforme a reportagem, a pasta "produziu um dossiê com nomes e, em alguns casos, fotografias e endereços de redes sociais das pessoas monitoradas."

O relatório foi feito pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi), ligada ao ministério.

Em nota divulgada na semana passada, o Ministério da Justiça e a Seopi não negaram a existência do dossiê nem explicaram por que produziram o documento, mas afirmaram que não compete à Seopi produzir dossiê contra nenhum cidadão, instaurar procedimento de cunho inquisitorial.

Segundo a nota, é rotina da Seopi obter e analisar dados para a produção de conhecimento de inteligência em segurança pública e compartilhar informações com os demais órgãos do Sistema Brasileiro de Inteligência. A secretaria, diz o ministério, "atua na prevenção de ilícitos e na preservação da segurança das pessoas e do patrimônio público".

O governo não explicou quais possíveis riscos essas pessoas listadas no relatório representavam.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Brasil registra 739 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas
POLÍCIA
Adolescente de 17 anos estupra criança de seis em Laguna Carapã
BRASIL
Mourão defende que dados de queimadas passem por 'ajustes e correções'
REGIÃO
Homem descumpre medida protetiva, persegue a ex pela internet e vai preso
BRASIL
Barroso defende trabalho da imprensa no combate à desinformação
DADOS
Pandemia do coronavírus reduz em 50% doações de medula óssea em MS
POLÍCIA
Dois ficam feridos em acidente na MS-134
TURISMO
Governo federal regulamenta turismo de trilhas no Brasil
RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
PARANAÍBA
Homem quebra móveis, bate na mulher e vai preso

Mais Lidas

PERIGO POTENCIAL
Vendaval pode atingir Dourados e outras 35 cidades de MS, segundo alerta do Inmet
DOURADOS
Mulher estaciona em vaga preferencial e é xingada por médico
ELEIÇÕES 2020
Convenções chegam ao fim e sete nomes são lançados à prefeitura de Dourados
FRONTEIRA
Estudante morre após procedimento estético em clínica clandestina