domingo, 23 de janeiro de 2022
Dourados
38°max
24°min
Campo Grande
35°max
23°min
Três Lagoas
39°max
24°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
DOURADOS

Câmara é notificada pela Justiça e vereador acusado de violência doméstica pode retomar mandato

02 dezembro 2021 - 09h01Por André Bento

A Câmara Municipal de Dourados já foi notificada da decisão judicial que anulou o processo administrativo resultante no afastamento do vereador Diogo Castilho (DEM), investigado por suposta quebra de decoro parlamentar após ter sido preso acusado de violência doméstica pela ex-noiva. 

O Dourados News apurou que a partir dessa notificação o democrata pode retomar imediatamente o exercício do mandato, sem que haja formalidades. Contudo, o departamento jurídico do Legislativo ainda estuda a possibilidade de recorrer, conforme relatado pela assessoria de imprensa. 

Médico, Diogo Castilho foi eleito vereador pela primeira vez nas eleições municipais de 2020, votado por 1.105 eleitores. No dia 4 de setembro deste ano, ele foi preso pela Polícia Militar e autuado em flagrante na Polícia Civil por violência doméstica. A vítima teria sido a própria noiva, que denunciou o suposto crime. (saiba mais)

Alvo de denúncia por quebra de decoro parlamentar na Câmara, o vereador tornou-se alvo de processo administrativo e no dia 13 de setembro o plenário da Casa de Leis votou pela abertura de Comissão Processante. (relembre)

Além dar início à investigação interna que poderia resultar em cassação do mandato, foi determinado afastamento do investigado por 90 dias, com a posse do suplente, Edson Souza (DEM), votado por 979 eleitores em 2020.

Porém, esse processo administrativo acabou anulado nesta semana depois que o desembargador João Maria Lós deferiu “pedido de tutela antecipada recursal à apelação, suspendendo os efeitos imediatos da sentença (revogação da tutela liminar concedida), declarando a repristinação dos efeitos da liminar anteriormente concedida em plantão judicial”.

Na prática, o despacho referente ao Pedido de Efeito Suspensivo à Apelação nº 1419281-15.2021.8.12.0000 restabeleceu a vigência da decisão de 2 de novembro do juiz Caio Márcio de Brito, que no plantão judiciário daquela data deferiu parcialmente a liminar requerida pelo autor Diogo Silveira Castilho contra o presidente da Câmara de Vereadores de Dourados, Laudir Munaretto (MDB), “para que suspenda todos os atos do procedimento administrativo nº 4463 de 09/09/2021, instaurado contra o autor, tendo em vista a impossibilidade de processamento de fatos revestidos de segredo de justiça, processados de forma ilícita e em descompasso com a Constituição Federal, declarados até o presente momento como nulos observando-se, por consequência, o devido processo legal, a ampla defesa e o respeito aos direitos e garantias individuais em favor do autor”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE

Especialistas explicam riscos de suplementos para treinos em academias

BANDEIRANTES

Polícia procura suspeito de matar mulher e jogar corpo em fossa

TEMPORÁRIA

Ministério da Economia suspende concurso para 2.130 vagas

Homem persegue e mata com 2 tiros atual da ex-mulher em fazenda

PANDEMIA

MS confirma mais 2,4 mil casos e três mortes por covid-19

CAPITAL

Mulher que havia desaparecido há dois dias é encontrada morta

EDUCAÇÃO

IFMS recebe até hoje inscrições para cursos de qualificação profissional

CAPITAL

Homem é morto a tiros dentro do carro por dupla em motocicleta

MS

Governo libera quase R$ 10 milhões para reformas em escolas do interior

UFC

Deiveson Figueiredo vence Brandon Moreno em grande luta e retoma título

Mais Lidas

REGIÃO

Grave acidente deixa oito mortos em rodovia

DOURADOS

Morto em confronto, além de ser suspeito de morte de menor, tinha extensa ficha criminal

DOURADOS

Dois são flagrados com droga na PED

TRÁFICO DE DROGAS

Cocaína que saiu da região de fronteira do MS é interceptada em SP