Menu
Busca domingo, 05 de abril de 2020
(67) 9860-3221
FOLGA

Bolsonaro passa o carnaval em unidade do Exército no Guarujá

21 fevereiro 2020 - 20h50Por G 1

O presidente Jair Bolsonaro embarcou na tarde desta sexta-feira, dia 21 de fevereiro, para o Guarujá, no litoral de São Paulo, para passar o feriado de carnaval na base militar do Forte dos Andradas, na praia do Monduba. O retorno para Brasília está programado para terça-feira (25).

Bolsonaro deixou a residência oficial do Palácio da Alvorada por volta das 13h30, acompanhado da filha Laura e do deputado Hélio Lopes (PSL-RJ). Antes de seguir para a Base Aérea de Brasília, conversou com apoiadores na portaria do Alvorada.

Desde que assumiu a Presidência, em janeiro de 2019, Bolsonaro tem utilizado a instalação militar do Forte dos Andradas, no Guarujá, para períodos de descanso.

O Forte dos Andradas é a última fortaleza construída no Brasil, inaugurada em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial.

No ano passado, Bolsonaro esteve no Guarujá nos feriados de Páscoa e da Proclamação da República. Na Páscoa, circulou de motocicleta pela cidade.

Bolsonaro também foi ao Guarujá no mês passado, acompanhado da filha Laura. Na oportunidade, andou de moto aquática no Guarujá e em Praia Grande.

A semana do governo

O presidente viajou após uma semana na qual discutiu com ministros o texto da reforma administrativa (serviço público), que ainda não foi enviada para análise do Congresso Nacional, e autorizou o envio de homens das Forças Armadas para o Ceará, em razão do motim de policiais militares no estado.

Bolsonaro considera que a proposta de reforma administrativa está “madura” e tem explicado que as mudanças propostas pelo governo só afetarão novos servidores públicos.

A semana ainda foi marcada por novo atrito na relação entre Planalto e Congresso. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou declaração do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, que reclamou de "chantagem" de parlamentares.

Heleno se referiu ao orçamento impositivo. O Congresso deve discutir nos próximos dias vetos do presidente às regras, aprovadas pelos parlamentares, que dão a deputados e senadores maior controle sobre o Orçamento.

Em resposta, Maia disse que a declaração foi “infeliz” e que o ministro se tornou um “radical ideológico”.

“É uma pena que o ministro com tantos títulos tenha se transformado em um radical ideológico contra a democracia, contra o parlamento”, afirmou Maia.

Na quinta-feira (20), o ministro da Economia, Paulo Guedes, também abordou o assunto. Ele defendeu um entendimento entre governo e parlamentares e disse considerar “normal” o Congresso querer ter controle sobre parte do Orçamento federal, mas disse que não é preciso “pisar no nosso [do Executivo] pé".

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Polícia apura que filho matou pai a pauladas após agredir a mãe grávida
ISOLAMENTO SOCIAL
Governo usará dados de teles para monitorar circulação de pessoas
COVID-19
Ação conjunta vai consertar respiradores que estão sem uso em Mato Grosso do Sul
LOTERIA
Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 10,5 milhões no próximo concurso
CLIMA
Inmet prevê domingo com temperatura alta em Dourados
Educação
Importância da robótica para as crianças
DOURADOS
Homem agride gestante e é assassinado a pauladas em favela
CAMPO GRANDE
Imasul mantém fechado Parque das Nações e Unidades de Conservação Estaduais
PANDEMIA
Apenas Acre e Tocantins não registram mortes por Covid-19 no Brasil
NOVA ANDRADINA
Três homens são presos transportando drogas do MS para Belo Horizonte

Mais Lidas

CORONAVÍRUS
Dourados registra mais dois casos de Covid-19 e MS tem 60 confirmações
ISOLAMENTO
Em 24 horas, apenas uma cidade de MS aparece vermelha no monitoramento do Governo
CORONAVÍRUS
Durante fiscalização, Guarda prende nove pessoas e notifica 60 comércios em Dourados
SUMIÇO
Família procura por jovem que está desaparecida desde a última quarta-feira