Menu
Busca quinta, 05 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

PF prende 11 empresários acusados de sonegar impostos

01 dezembro 2004 - 18h40

Uma operação deflagrada hoje pela Polícia Federal, em conjunto com técnicos do Ministério da Previdência Social e com a Procuradoria da República, prendeu 11 empresários acusados de sonegar impostos e contribuições previdenciárias em oito Estados do país.A ação, denominada "Operação Perseu", cumpre 63 mandados de busca e apreensão e 13 mandados de prisão.Entre os mandados de prisão que já foram cumpridos está o do auditor fiscal do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Luís Antônio Faria de Camargo, que foi chefe da divisão de arrecadação da gerência-executiva centro do INSS de São Paulo, entre maio e novembro deste ano. Os demais presos são empresários, sócios e funcionários do Frigorífico Margen, segundo maior grupo frigorífico do país. São eles: Mauro Suaiden, Ney Agilson Padilha, Geraldo Antonio Prearo, Milton Prearo, Maurício Suaiden Júnior, José Adilson Melan, Jelicoe Pedro Ferreira, Cláudio Meira Campos Arruda, Luiz Carlos Furlan e Fábio Luiz Dutra Silva.De acordo com informações do Ministério da Previdência Social, as investigações começaram há oito meses, quando descobriu-se que os sócios do Frigorífico Margen eram "laranjas" e que não possuíam nenhuma condição financeira de serem os proprietários da empresa. No ano passado, o Frigorífico Margen teve faturamento de R$ 2,3 bilhões e exportou, aproximadamente, US$ 100 milhões. A Previdência Social informou que o Grupo Margen se constituía numa organização criminosa com o objetivo de sonegar tributos federais, estaduais e municipais. A estimativa é que o grupo deva ao INSS e à Receita Federal cerca de R$ 150 milhões, referentes às contribuições recolhidas de produtores rurais. As investigações feitas pela força-tarefa previdenciária demonstraram que o grupo contava com os serviços de advogados, agentes públicos, contadores e despachantes para praticarem diversos crimes, como facilitação de emissão de CNDs (Certidões Negativas de Débito), apropriação indébita de contribuições previdenciárias, formação de quadrilha, corrupção, sonegação fiscal, tráfico de influência e fornecimento de informações sigilosas. Os mandados de busca e apreensão e de prisão estão sendo cumpridos nos Estados do Acre, de Goiás, do Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso, de Rondônia, de São Paulo, do Tocantins e do Paraná. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SISTEMA ELEITORAL
Empresários divulgam manifesto em defesa da urna eletrônica e da democracia
Homem armado com faca invade posto de saúde e acaba preso
NÚMEROS DA PANDEMIA
Média móvel de mortes por Covid fica abaixo de 900 após mais de 200 dias
REGIÃO
Por ajuda com comida, avós deixavam menina de 13 anos ser estuprada
BRASIL
Bolsonaro escolhe Bruno Bianco para o lugar de Mendonça na AGU
SONORA
Homem suspeito de matar a esposa e enterrar corpo tem preventiva decretada
COMÉRCIO EXTERIOR
Exportações de MS sobem 16,5% com destaque para soja, celulose e açúcar
VIOLÊNCIA
Motociclista morre ao ser atingido por caminhão em avenida da Capital
FUTEBOL
Barcelona anuncia que não renovará contrato de Lionel Messi
VOTAÇÃO
Maioria dos deputados de MS vota contra privatização dos Correios

Mais Lidas

DOURADOS
Assessora vai à polícia e diz que foi ameaçada de morte por vereadora
DOURADOS
Flagrado com pistola, jovem é preso no Parque do Lago II
AMEAÇA
Mulher não aceita relacionamento do ex e ameaça a atual companheira dele de morte
DOURADOS
Casal é preso após transformar casa de homem que morreu por overdose em 'boca de fumo'