Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021
(67) 99257-3397

Petros diz que CPI cometeu erro de informação

08 abril 2006 - 13h03

A Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) afirma que há "erros materiais" no relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, aprovado na última quarta-feira. O presidente da instituição, Wagner Pinheiro de Oliveira, garante que o texto contém falhas de informação que podem comprometer a imagem do fundo de pensão e de seus dirigentes. O fundo enviou uma mensagem com correções ao relator, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR). Como as últimas alterações no relatório ainda não foram divulgadas, a Petros não sabe se seus pedidos foram atendidos. Entre os equívocos denunciados por Wagner Pinheiro de Oliveira está a menção a prejuízos decorrentes de investimentos do fundo de pensão no Banco Santos. "Não perdemos nenhum centavo no Banco Santos porque não tínhamos investimentos lá", afirma o presidente do fundo de pensão. O relatório também levanta suspeitas de tráfico de influência na contratação da Globalprev, empresa de consultoria atuarial, pela Petros, ao afirmar que José Valdir Gomes, um dos diretores da Secretaria de Previdência Complementar, seria sócio da empresa. "Ele nunca foi sócio", assegura Oliveira. O presidente da Petros cita, ainda, a menção a "pretensas perdas" do fundo, no valor de R$ 57 mil, em negociação de títulos públicos. "Usam critérios técnicos errados, que não correspondem à realidade do mercado financeiro", diz. Além disso, Oliveira afirma que a referida operação foi feita em 2002 e não em 2004, como consta no relatório da CPI. Além dos erros de informação, a Petros denuncia omissão, dos deputados e senadores, quanto às operações dos fundos de pensão em período anterior a 2003, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O presidente da Petros diz que a CPI não confirmou a tese de que os fundos de pensão abasteceram o esquema de corrupção do empresário Marcos Valério de Souza. "Há, sim, erros administrativos e operacionais constatados anteriormente pela Secretaria de Previdência Complementar, mas não há conexão destes erros das diversas fundações com o esquema de corrupção chamado por eles de Valerioduto", afirma. As informações são da Agência Brasil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Justiça argentina começa interrogatórios sobre morte de Maradona
Entidades acusam governo federal de perseguir pesquisadores
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Entidades acusam governo federal de perseguir pesquisadores
CAPITAL
Mulher é acusada de agredir e xingar policiais em bairro de Campo Grande
FUTEBOL
Copa América: seleção chega ao Rio de Janeiro para jogo contra Peru
Especialistas criticam ausência de programação de combate ao racismo na EBC
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Especialistas criticam ausência de programação de combate ao racismo na EBC
INTERNET
Pesquisa aponta inacessibilidade de sites culturais
LEGISLATIVO
Câmara aprova isenção de impostos para beneficiários do "Casa Verde Amarela"
IMUNIZAÇÃO
Covid-19: 82% dos indígenas receberam 1ª dose, diz Ministério da Saúde
COVID-19
Estado acolhe flexibilização de medidas em Dourados, mas mantém bandeira "cinza"
ESPORTES
Ministério da Saúde confirma 41 casos de covid-19 na Copa América

Mais Lidas

DOURADOS
Defron desarticula entreposto de cocaína no Campo Dourado
REGIÃO
Homem é executado a tiros na rodoviária de Nova Alvorada do Sul
DOURADOS
Guarda encerra mais uma festa clandestina regada a álcool em meio ao lockdown
DOURADOS
Jovem é encontrado caído em via na área central e estado de saúde é grave