Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Pessoas com personalidade negativa têm pior saúde

26 janeiro 2010 - 14h08

Pessoas com traços de personalidade ligados a emoções muito negativas que não expressam esses problemas emocionais são mais propensas a terem problemas de saúde, diz uma nova pesquisa feita na Holanda. Aline Pelle, a pesquisadora responsável pelo estudo descobriu que esses indivíduos quase nunca conversam com seus médicos sobre doenças, especialmente as relacionadas com o coração. Além disso, essas pessoas são mais suscetíveis a serem influenciadas pelos hábitos dos parceiros, ou seja, assumirem posturas similares aos cônjuges.

Pelle acompanhou pacientes com a chamada “personalidade tipo D”, ou seja, indivíduos que tendem a ser mais negativos sobre a vida, de uma forma em geral, e não expressam seus sentimentos por medo de rejeição. Já se sabia que esse tipo de personalidade tem mais problemas do coração e é também relacionada com a ansiedade e a depressão, e que apresentam mais problemas de saúde.

A pesquisadora diz que a maiora desses indivíduos costumam evitar as visitas aos médicos, e por isso, são seis vezes mais propensos a terem pioras repentinas na saúde do que outros pessoas com traços de personalidade diferentes.

Pelle também considera que não é somente a personalidade dessas pessoas, mas também a dos parceiros e cônjuges, que contribuem com o quadro geral de negatividade e consequentemente uma pior qualidade da saúde. Mas ao contrário do que se pensava, pessoas com traços de personalidade tipo D também demonstraram níveis de qualidade de relacionamento muito piores quando o parceiro apresentava traços de personalidade diferentes dos deles. Ou seja, pessoas negativas e pessimistas acabam se dando melhor com parceiros também mais negativos.

E mesmo com piores níveis de saúde e mais propensão a doenças do coração, o estudo de Pelle mostrou que, mesmo que a maiora das pesquisas apontem em outra direção, o nível de mortalidade entre esses pacientes se mantêm na média, sem grandes variações negativas ou positivas.

A pesquisa sugere que a negatividade generalizada, quando reconhecida pelos médicos e profissionais de saúde, mereceria maior atenção, pois essas pessoas podem demorar muito tempo para voltar a se consultarem novamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Novo coronavírus ainda não chegou aos distritos de Dourados
DOURADOS
Primeiro dia de barreira sanitária flagrou três suspeitos de coronavírus
ARTIGO
Home Office
COVID-19
MPE pede multa diária de R$ 30 mil ao município por falta de estudo epidemiológico de casal
COVID-19
Curva segue ascendente e Dourados ultrapassa 200 casos de coronavírus
APARECIDA DO TABOADO
Proprietário de fazenda é autuado em quase R$ 13 mil por exploração ilegal de madeira
DOURADOS
Na reta final, vacinação contra Influenza só atingiu meta em dois grupos até agora
SAÚDE PÚBLICA
Segundo do país em incidência, MS se aproxima de 60 mil notificações por dengue
ARQUITETURA & DESIGN
O sonho de toda mulher: o closet por Juliana Saraiva
PANDEMIA
Mesmo com o aumento diário de casos de coronavírus, douradenses mantêm isolamento baixo

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher