Menu
Busca quinta, 21 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397

Pesquisador da UFMS aborda ocupação e trabalho na fronteira

20 outubro 2003 - 09h54

Está sendo apresentado na manhã de hoje, a uma banca de examinadores do curso de Mestrado em História da UFMS em Dourados, o resultado de um estudo que mostra como a porção meridional do antigo Estado de Mato Grosso passou a integrar-se ao movimento das chamadas frentes pioneiras, na década de 40, época da implantação da Colônia Agrícola Nacional de Dourados (CAND).O estudo, desenvolvido por Jocimar Lomba Albanez e orientado pelo professor Paulo Roberto Cimo, está sendo apresentado no campus de Dourados, mostrando as particularidades desse processo de formação do “extremo sul de Mato Grosso”, que constitui o chamado “Cone Sul” do atual Estado de Mato Grosso do Sul.O autor do estudo relata que se trata de uma região caracterizada historicamente pela economia ervateira, exercida sob controle da Companhia Matte Laranjeira, desde fins do século XIX. “A partir dos anos 1940, a nova política de fronteiras do governo federal e o declínio da presença da referida empresa abrem caminho para o avanço das frentes pioneiras provenientes dos vizinhos Estados de São Paulo e Paraná” , diz o autor no resumo da dissertação.Nesse trabalho é traçado um panorama do processo de ocupação não-índia do antigo sul de Mato Grosso, com destaque para o caso específico do extremo sul, para em seguida se analisar o contexto de declínio da presença da Companhia Matte Larangeira, a presença das políticas do Estado Novo, o avanço das frentes pioneiras e as transformações ocorridas no meio rural da região.Segundo o pesquisador, também são identificadas e discutidas as relações de trabalho estabelecidas nesse novo processo de ocupação, lançando-se mão, sobretudo, dos dados censitários, e de documentos da extinta Comissão Especial de Revisão das Concessões de Terras na Faixa de Fronteira, além de outras variadas fontes e referências bibliográficas.Na conclusão, o pesquisador deduz que o processo de avanço das frentes pioneiras foi um tanto mais tardio e menos intenso que nos espaços caracterizados pela presença da CAND. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
IFMS divulga resultado de seleção para cursos a distância em dez municípios
LEGISLATIVO
Comissão de juristas vai revisar legislação sobre racismo
BRASIL
Vacinas da Índia devem chegar no fim da tarde de amanhã ao Rio
Onça resgatada em incêndio do Pantanal é devolvida à natureza
REABILITADA
Onça resgatada em incêndio do Pantanal é devolvida à natureza
EDUCAÇÃO
Vestibular Uems oferta 40 vagas em Mundo Novo
IMUNIZAÇÃO
Importação de insumo de vacinas é questão burocrática, diz Bolsonaro
UNIVERSIDADE
UFGD forma novos médicos em cerimônia remota nesta sexta
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Proposta obriga cidades turísticas a oferecerem acesso à praia para pessoas com deficiência
MATO GROSSO DO SUL
Governo do Estado e MPMS alinham estratégias de fiscalização no combate a Covid
PANDEMIA
Covid-19: mortes somam 214,1 mil e casos, 8,69 milhões

Mais Lidas

DOURADOS
Promotor vê preconceito em comentários contra vacina para índios e denuncia à PF
DOURADOS
Mulher é presa acusada de dar cobertura para assaltantes que rendiam família
VILA ÍNDIO
Enfermeiro de 50 anos é primeiro vacinado contra Covid-19 em Dourados
DOURADOS
Dupla é presa após assaltar entregador em frente conveniência no Jardim Flórida