Menu
Busca domingo, 24 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Pesquisa diz que Puccinelli seria reeleito no 1º turno

17 dezembro 2009 - 09h41

Com aprovação recorde, o governador André Puccinelli (PMDB) seria eleito no primeiro turno se as eleições fossem neste mês. Segundo levantamento do Ipems (Instituto de Pesquisa de Mato Grosso do Sul), realizada com 2 mil eleitores de 40 municípios entre os dias 2 e 10 de dezembro deste ano, ele obteria 47,40% dos votos, contra 28,6% do ex-governador Zeca do PT, 10,3% da senadora Marisa Serrano (PSDB) e 1,25% de Iara Costa (PMN). Puccinelli conseguiria atingir 54,14% dos votos válidos.

Conforme a pesquisa, que tem margem de erro de 2,19%, Puccinelli atingiria 53,04% dos votos na Capital, contra 24,72% de Zeca, 8,56% de Marisa e 1,38% de Iara. Somente em Campo Grande, maior colégio eleitoral do Estado, a vantagem do peemedebista sobre o principal adversário seria de 28,32 pontos percentuais.

Já no interior, a vantagem diminui para 13,4 pontos percentuais. O atual governador teria 44,3% dos votos, contra 30,8% do petista, 11,29% da tucana e 1,18 de Iara Costa. Mesmo neste cenário, Puccinelli faria 50,54% dos votos válidos, enquanto na Capital faria 60,47%. Por região, Puccinelli obtém os menores percentuais nas regiões do Pantanal (44,33%) e Leste (44,55%). O maior percentual é da região Centro-Norte, quando fica com 50,58%.

Já Zeca do PT tem mais apoio popular nas regiões do Pantanal (31,53%) e sudoeste (30,19%). O menor percentual está nas regiões Norte e Centro (26,5%). Já Marisa fica com a maior cotação na região Leste (13,2%). Se for considerar micro região, as diferenças entre os principais candidatos são maiores em Campo Grande (52,13% a 25,42%), Três Lagoas (54,24% a 27,12%) e Bodoquena (51,19% a 35,71%).E são menores no Alto Taquari (37,63% a 35,48%), Iguatemi (38,39% a 36,61%) e Nova Andradina (33,33% a 41,27%).

Rejeição – A candidata mais rejeitada pelos eleitores é a ex-candidata a prefeita de Campo Grande, Iara Costa. Segundo o Ipems, 56,05% dos eleitores não votariam de jeito nenhum nela para o Governo do Estado. Em segundo lugar estaria o ex-governador petista, que é rejeitado por 39,1% dos eleitores. Em relação aos dois últimos levantamentos, quando o percentual estava em 35%, houve aumento no número de pessoas dispostas a não votar de jeito nenhum em Zeca do PT.

Situação mais delicada ainda ficou a senadora do PSDB. Além de não ter mais de 10% das intenções de voto, ela tem o terceiro maior percentual de rejeição, 37,3% dos eleitores não votariam de jeito nenhum em Marisa. Já o governador André Puccinelli tem o menor índice de rejeição. Apenas 20,60% dos moradores do Estado descartam o seu nome em qualquer situação nas eleições de 2010.

Governo – A gestão do governador André Puccinelli bateu recorde neste mês, atingindo o mais alto índice de aprovação desde outubro de 2007. Segundo o Ipems, 69,3% dos sul-mato-grossenses consideram a sua administração ótima ou boa. Desde abril de 2008, a avaliação do peemedebista superou a barreira dos 60% e se manteve neste patamar, encerrando o ano de 2009 próximo de 70%.

A administração é considerada regular para 21,8% dos eleitores, enquanto apenas 8,9% a consideram ruim ou péssimo. Apesar do crescimento de 0,7 ponto percentual em relação ao mês de setembro deste ano, a reprovação permanece abaixo dos dois dígitos, marca sustentada desde julho deste ano.

O percentual de aprovação atinge 73,34% na Capital, contra 67,01% no interior do Estado. O menor índice foi constatado na região Leste (66,67%). Também é maior entre as mulheres (72,32%) do que entre os homens (66,04%). Por faixa etária, a aprovação é melhor entre os eleitores com mais de 70 anos (74,77%) do que entre os adultos de 46 a 55 anos (62,85%).

Já por nível de renda, 70,34% dos moradores com renda de três a oito salários mínimos consideram a administração ótima ou boa. O menor índice está entre os mais ricos, com renda superior a R$ 3,7 mil (62,71%). Os índices mais desfavoráveis ao governador só foram registrados no primeiro ano de mandato, quando suspendeu os programas sociais e não teve condições de conceder reajuste aos funcionários públicos estaduais. Agora, três anos depois, ele colhe os frutos da administração.

Os programas sociais beneficiam 50 mil famílias com bolsa mensal no valor de R$ 120. Além do valor ser reajustado no próximo ano, os beneficiados vão receber 13º neste mês. Já os servidores públicos colhem reajustes salariais acima da inflação desde o ano passado. Após autorizar aumento de 9,73% nos vencimentos dos professores, o governador já sinaliza com aumento acima da inflação a partir de maio para os demais funcionários estaduais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MINISTRO
Weintraub: “tentam deturpar minha fala para desestabilizar a nação”
DIA MUNDIAL
Situação de stress social pode ser gatilho para quem tem esquizofrenia
ESTADO
Canil do Corpo de Bombeiros participa de ocorrências no interior e na capital
ESPORTE
Beach Handebol brasileiro busca alternativas para se manter no topo
INTERIOR
Com peças de Lego, alunas da UEMS criam robô que ajuda na prevenção do coronavírus
DOURADOS
MPE arquiva investigação sobre qualidade da internet fibra óptica e banda larga
COVID-19
Agência diz que EUA devem proibir viajantes do Brasil
ESTADO
TJMS implanta Serviço de Informação ao Cidadão
ESTADO
Governo mantém entrega de 1,7 mil moradias para 2020
MINISTRO
Internado para cirurgia, Toffoli apresenta sintomas de covid-19

Mais Lidas

PANDEMIA
Números continuam aumentando e Dourados tem mais nove casos confirmados de coronavírus
TRAGÉDIA
Homem morre atropelado por rolo compactador
PANDEMIA
Dourados ultrapassa marca de 100 casos confirmados de coronavírus
DOURADOS
Servidor da PED é diagnosticado com coronavírus e outros agentes são afastados