Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99659-5905

PDT estará de corpo e alma na campanha de Dilma

28 janeiro 2010 - 16h00

Ao anunciar nesta quinta-feira o apoio do PDT à candidatura da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) à Presidência da República, o presidente licenciado do PDT, ministro Carlos Lupi (Trabalho), disse hoje que o partido está "de corpo e alma" na campanha da ministra.

Lupi admitiu que o apoio seria "diferente" se o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), estivesse na disputa ao Palácio do Planalto. Mas negou que fosse abandonar o apoio a Dilma.

"É claro que, se o Aécio fosse candidato, essa configuração poderia ser outra. Mas eu nunca disse que o partido não apoiaria a ministra Dilma", afirmou.

Lupi disse que, como o PDT integra a base de apoio do governo federal, é natural que faça coligação com o PT, partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra Dilma. "Nós estamos no governo, você não pode fazer jogo duplo. Nós não podemos estar no governo e ir para o palanque da oposição. Nem a população compreenderia e nós teríamos o mínimo de lealdade nesse processo", afirmou.

O presidente do PDT disse que, há mais de dois anos, firmou o compromisso com o presidente Lula de seu partido apoiar Dilma se o PT decidisse lançá-la à Presidência. "O que queremos dizer é uma sinalização que o partido tem compromisso nacional. Não criamos dificuldades para obter facilidades. Não vamos esperar e fazer charme. Nossa candidata é a ministra Dilma. Vamos de corpo e alma, sem nenhuma contrapartida, estar na campanha dela."

Lupi disse que governo e oposição devem fazer uma "eleição plebiscitária", mostrando ações feitas pelo governo de cada um. "Temos que saber quem é contra, quem é a favor do governo do presidente Lula", disse Lupi.

Na opinião do pedetista, o governo de Dilma deve ser "ainda melhor" que o de Lula, porque será o aperfeiçoamento das ações realizadas pelo petista.

Dilma almoça hoje com a cúpula do PDT para ouvir a decisão do partido de apoiar a sua candidatura à Presidência. Oficialmente, os pedetistas vão bater o martelo em junho, na convenção nacional da legenda. Como a maioria do PDT é favorável à coligação com o PT, o comando da legenda resolveu adiantar seu apoio para a ministra.

Impasses

Lupi disse que o PDT vai buscar a solução de impasses regionais que dificultam a aliança nacional com o PT. "As questões regionais, nós estamos com a direção do PT para elencar realidades. Claro que temos uma base de apoio grande", afirmou.

O ministro citou como exemplo Estados como o Paraná e o Maranhão, onde há risco de candidatura do PDT se chocar com outras da base aliada governista. No Rio, Lupi reconheceu ser difícil mudar o atual cenário diante da disposição do ex-governador Anthony Garotinho (PR), ex-pedetista, ingressar na disputa.

"O partido se fortaleceu no Rio. O caso do Garotinho é mais difícil por causa dos problemas internos. Mas nacionalmente, ele [Garotinho] apoia a Dilma. O PDT tem compromisso nacional. Nossa candidata é a ministra Dilma. vamos entrar na campanha dela", afirmou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

APÓS PRORROGAÇÃO
Prazo de inscrição no Enem 2020 termina nesta quarta-feira
ITAQUIRAÍ
Polícia prende 4 traficantes e encontra 307 quilos de drogas em assentamento
SELEÇÃO
SES encerra inscrições para contratação de 31 profissionais da saúde
ECONOMIA
Câmara aprova MP que aumenta salário mínimo para R$ 1.045
SAÚDE
Mais um servidor da Penitenciária de Dourados é diagnosticado Covid-19
TRÁFICO
Servidor da Sesai usava veículo oficial para trazer maconha do Paraguai
TEMPO
Quarta-feira gelada, com sol entre nuvens em Dourados
TRÊS LAGOAS
Empresária paulista perde R$ 50 mil ao negociar compra de sucata
ECONOMIA
Governo Federal libera mais R$ 28,7 bilhões para auxílio emergencial
TRÁFICO
PRF apreende 254 quilos de maconha e prende batedores na fronteira

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher