Menu
Busca domingo, 01 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

Paraguai dá liberdade provisória ao ex-general Lino Oviedo

24 julho 2007 - 10h50

A Suprema Corte de Justiça do Paraguai decidiu na segunda-feira conceder liberdade provisória ao ex-comandante do Exército Lino César Oviedo, suspeito de mandar matar há mais de oito anos o então vice-presidente do país, Luis María Argaña.

Os advogados do ex-general haviam entrado com um recurso pedindo sua libertação, alegando que Oviedo já havia passado mais de três anos preso sem que a sentença tivesse sido proferida. Os sites dos jornais Última Hora e ABC Color disseram que a decisão dos juízes foi favorável ao réu. "A informação já é oficial, só falta a notificação", disse o advogado José López Chávez ao "Última Hora".

Argaña foi vítima de uma emboscada contra seu carro em março de 1999. O crime desencadeou a pior crise política desde a volta da democracia ao país, levando à renúncia do então presidente Raúl Cubas, aliado de Oviedo. Mas o ex-general continuará cumprindo a pena de dez anos de prisão pela tentativa de golpe de Estado contra o ex-presidente Juan Carlos Wasmosy em 1996.

Ele também é réu no caso do assassinato de oitos jovens, vítimas de franco-atiradores em manifestações populares ocorridas nos dias que se seguiram à morte de Argaña.Desde que voltou ao Paraguai, em meados de 2004, depois de um longo exílio na Argentina e no Brasil, Oviedo tenta derrubar os impedimentos jurídicos a suas ambições políticas.

A notícia da liberdade provisória para ele surge num momento em que um tribunal militar estuda um pedido de revisão da pena de dez anos de prisão, que pode ser transformada em liberdade condicional pelo fato de Oviedo já ter cumprido parte da sentença.

A agilidade judicial nos pedidos da defesa de Oviedo alimentou especulações de que haveria um pacto político entre o ex-general e o presidente Nicanor Duarte Frutos, o que ambos os líderes recentemente negaram.

O partido fundado por Oviedo integra uma aliança opositora criada para enfrentar o governista Partido Colorado nas eleições presidenciais de abril de 2008, tendo como candidato o ex-bispo católico Fernando Lugo.

Alguns analistas dizem que a eventual libertação de Oviedo, que não desistiu da carreira política e continua sendo popular, principalmente entre os pobres, poderia romper a aliança opositora que busca encerrar mais de 60 anos consecutivos de poder do centro-direitista Partido Colorado.

Lugo é favorito nas pesquisas mais recentes, com cerca de 40 por cento das preferências. O Partido Colorado aparece em segundo lugar, com 26 por cento das intenções de voto. Oviedo vem em terceiro, com 12 por cento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Comissão Temporária Covid-19 ouve ministro das Comunicações
POLÍTICA
Comissão Temporária Covid-19 ouve ministro das Comunicações
Projeto fixa regras para perfis em redes sociais de pessoas falecidas
CIÊNCIA, TECNOLOGIA E COMUNICAÇÕES
Projeto fixa regras para perfis em redes sociais de pessoas falecidas
EDUCAÇÃO
Cursos gratuitos capacitarão mulheres em situação de vulnerabilidade
Fóssil de dinossauro é encontrado no interior de SP
GERAL
Fóssil de dinossauro é encontrado no interior de SP
Mais um é autuado em três dias por maus tratos ao deixar gado sem alimento
POLÍCIA
Mais um é autuado em três dias por maus tratos ao deixar gado sem alimento
GERAL
Manifestações pelo voto auditável reúnem pessoas e várias capitais
ESPORTE
Em jogo frio, Caxias e Joinville não saem do zero pela Série D
INVESTIGAÇÃO
Exame de corpo de delito no marido de Joice Hasselmann não aponta lesões
POLÍCIA
Polícia Civil cumpre mandado de prisão por pensão alimentícia
OLIMPÍADAS
Com 2ª medalha garantida, boxe brasileiro vive expectativa de recorde

Mais Lidas

PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos
PARAGUAI
Militares executados na fronteira eram sargentos da FTC
PANDEMIA
Dourados vai liberar acesso a estabelecimentos apenas para pessoas vacinadas
PANDEMIA
Homem e mulher são mais recentes vítimas da Covid-19 em Dourados