Menu
Busca sábado, 27 de fevereiro de 2021
(67) 99257-3397

Palocci diz que inflação está sob controle

24 outubro 2003 - 18h05

Em um pronunciamento feito hoje à noite, em rede nacional de rádio e TV, o ministro da Fazenda Antonio Palocci disse que a inflação está sob controle, os juros estão em baixa e o dólar estável. Palocci pediu aos empresários que invistam no país. "Isso não quer dizer que todos os nossos problemas já foram resolvidos, mas que começaremos a viver um tempo novo daqui para frente". O ministro também foi otimista quanto ao Natal dos brasileiros: "O fim do ano se aproxima e com certeza já teremos um Natal um pouco melhor para o comércio, e um ano novo com muito mais esperança para o povo brasileiro".Íntegra do pronunciamento:"Meus amigos e minhas amigas,Na qualidade de ministro da Fazenda, quero conversar nesse momento com vocês um pouco sobre o nosso passado, mas, sobretudo, sobre nosso futuro. Temos repetido muito, e vamos continuar repetindo sempre, que o maior desafio deste governo, nestes seus primeiros meses, era, sem dúvida, estabilizar a economia e criar as condições para cumprir aquele que é o nosso objetivo principal: gerar empregos e promover a distribuição de renda. Como todos sabem, no ano passado a inflação voltou a crescer, causando graves problemas para todos, especialmente para as pessoas mais pobres. A alta de preços corrói os salários, reduzindo muito o poder de compra das famílias até para coisas essenciais, como roupa, comida e transporte. É importante que todos entendam que o controle da inflação é indispensável para nosso país crescer com segurança. Pois bem meus amigos. Hoje, nove meses e 24 dias depois da posse do presidente Lula, e na qualidade de seu ministro responsável pela área econômica, posso dizer a vocês, com absoluta segurança, que vencemos essa batalha. A inflação está finalmente controlada, os juros estão em baixa e o dólar estável. O risco país encontra-se em torno de 600 pontos, depois de ter atingido 2.400 pontos, no ano passado. Isso é muito importante, porque o risco país determina o custo dos empréstimos para o governo e para as empresas brasileiras. Quanto mais alto o risco país, mais altos são os juros que pagamos pelos empréstimos lá fora. Quanto mais caro o custo do dinheiro lá fora, maiores são os juros aqui dentro. E quanto maiores os juros aqui dentro, maior a dívida e a desconfiança no país. Felizmente posso dizer a vocês neste momento que esse perverso círculo vicioso foi quebrado. Veja, isso não quer dizer que todos os nossos problemas já foram resolvidos. Mas significa que começaremos sim a viver um tempo novo daqui para frente. Isso foi possível porque o governo tomou medidas para colocar as finanças do país em ordem. Durante muitos anos, o governo brasileiro gastou mais do que podia. Por isso, nos últimos anos, o governo foi perdendo sua capacidade de investir em Educação, em Saúde, em Segurança Pública e também na Infra-estrutura do país. Hoje, o mundo inteiro já percebe o quanto o Brasil mudou. Um bom exemplo disso é que o índice da bolsa de valores brasileira, onde são vendidas todos os dias ações das nossas empresas, não pára de crescer. Este é um fato importante, porque significa que os investidores já perceberam que os próximos anos serão de tranqüilidade, de crescimento e de grandes oportunidades em nosso país. As empresas brasileiras, aos poucos, também começam a retomar os seus investimentos, porque sem o risco da inflação e com os juros em queda, todos já podem planejar o seu futuro com mais segurança e tranqüilidade. Vivemos um novo momento, repito: o fim do ano se aproxima e com certeza já teremos um natal um pouco melhor para o comércio, e um ano novo com muito mais esperança para o povo brasileiro. Enfim, meus amigos, o Brasil está pronto agora para voltar a crescer. A partir de agora, como acontece nos países de economia madura e desenvolvida, cada vez mais as empresas vão ganhar por sua competência, qualidade de serviços e volume de vendas. Este sim é o ambiente saudável para crescer e desenvolver o Brasil, onde o lucro justo é obtido às custas do investimento e do trabalho. O governo está cumprindo a sua promessa de garantir a estabilidade econômica. Tenham certeza disso. Agora é preciso que os empresários respondam com o investimento de recursos que levem ao aumento das exportações, das ofertas de emprego e do consumo. Se queremos, verdadeiramente, transformar este país num país de todos, é importante que todos façam a sua parte. Muito obrigado e boa noite."   

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTSAL
Minas vence Dois irmãos e encara Magnus na final da Supercopa
Dourados receberá carreta do Hospital do Amor em março
PREVENÇÃO
Dourados receberá carreta do Hospital do Amor em março
Acordo com MPE prevê multa e exoneração de servidores
REGIÃO
Acordo com MPE prevê multa e exoneração de servidores
Servidor condenado por improbidade não pode ter aposentadoria cassada em decisão judicial
STJ
Servidor condenado por improbidade não pode ter aposentadoria cassada em decisão judicial
Sul-mato-grossense é multado por degradação ambiental em balneário particular
BODOQUENA
Sul-mato-grossense é multado por degradação ambiental em balneário particular
DOURADOS
Prefeitura empenhou R$ 253 milhões para despesas no primeiro bimestre
STF
Barroso mantém andamento de PEC da Imunidade, mas alerta sobre necessidade de aperfeiçoar texto
ESTADO
Carreta da Justiça atende Corguinho no início de março
DOURADOS
Prefeitura arrecadou mais de R$ 133 milhões em fevereiro
BRASIL
Museu da Língua Portuguesa será reinaugurado no dia 17 de julho

Mais Lidas

DOURADOS 
Operação desarticula quadrilha especializada em furtos de máquinas agrícolas
DOURADOS 
Mulher é esfaqueada na região central e encaminhada ao HV em estado grave
PARAGUAI
Quadrilha é presa com 1,4 tonelada de cocaína e até avião na fazenda de Pavão
DOURADOS 
Mulher que esfaqueou rival é autuada em flagrante por tentativa de homicídio