Menu
Busca sexta, 26 de fevereiro de 2021
(67) 99257-3397

Obras de penitenciárias em MS terão continuidade

10 setembro 2003 - 11h46

O Governo do Estado através da Seinfra (Secretaria de Infra-Estrutura), esclarece sobre levantamento de auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União) que teria constatado irregularidades nas obras dos presídios em Campo Grande, Naviraí, Três Lagoas e Dois Irmãos do Buriti, divulgado na imprensa local. Segundo o secretário de Infra-Estrutura, Maurício Arruda, o Governo do Estado ainda não recebeu notificação oficial sobre as irregularidades.Periodicamente, técnicos do DEPEN (Departamento de Penitenciária Nacional) vistoriam as obras conveniadas e as falhas detectadas são comunicadas ao Governo do Estado que toma providências para saneá-las, afirmou Maurício Arruda. Segundo depoimento do ministro do TCU, Augusto Sherman Cavalcanti, as obras no Estado não serão paralisadas, pois as falhas detectadas podem ser solucionadas sem prejuízo à continuidade das construções.As licenças necessárias para a construção e funcionamento dos presídios (prévia, de instalação e de operação, esta última solicitada apenas quando a obra é concluída), estão regularizadas em todas as construções do Estado, e o presídio de trânsito da Capital já possui a solicitação da licença prévia protocolada. O secretário ressaltou ainda que os preços praticados pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) estão disponíveis às empreiteiras. Os valores das obras são: presídio de trânsito de Campo Grande (R$2.318.696,99); Naviraí (R$3.967569,93); Dois Irmãos do Buriti (R$2.908.862,68) e Três Lagoas (R$4.499.602,99).A obra do presídio de trânsito de Campo Grande precisou ser reorçada quando houve o cancelamento do contrato com a empresa que estava executando a construção para que houvesse nova abertura de licitação. “Dois terços da obra estavam executados e como os preços estavam defasados, foi preciso fazer novo orçamento”, explicou Maurício Arruda.Já na obra localizada em Dois Irmãos do Buriti, houve a mudança do local de construção (a princípio, o presídio seria erguido em Miranda), além da reivindicação de órgãos como a Procuradoria da República, Polícia Federal e Justiça Federal para a modificação do projeto na construção de celas do presídio. Conforme informação do secretário de Justiça e Segurança Pública, Dagoberto Nogueira, o governo federal liberou recursos de R$ 1,4 milhão para a conclusão da obra.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Foragido, pai que estuprou a própria filha em São Paulo é preso em MS
AJUDA
Bolsonaro fala em pagar 4 parcelas de R$ 250 de auxílio emergencial
BATAGUASSU
Usando nome falso há 12 anos, homem foge da policia e até registra filha
FUTEBOL
Fundesporte e Federação assinam repasse de R$ 820,9 mil para o Estadual 2021
Golpistas pedem dados de idosa para simular empréstimo e 'limpam' a conta dela
VACINA
Ministério assina acordo para comprar 20 milhões de doses da Covaxin
CAMPO GRANDE
Idoso fica em porta-malas por mais de meia hora durante roubo de carro
ECONOMIA
Nova linha de crédito imobiliário da Caixa tem juros atrelados à poupança
CRIME AMBIENTAL
Fazendeiro é multado em R$ 19 mil por desmatamento de bioma protegido
PROTESTO
Servidores públicos realizam ação contra a PEC Emergencial em Dourados

Mais Lidas

REGIÃO
Homem é preso após estuprar menina de 11 anos
POLÍCIA
Identificada vítima fatal de acidente entre carretas
DOURADOS
Câmara aprova projeto do Executivo para elevar remuneração de secretários municipais
BELEZA
Representante de Dourados está na final do Miss Brasil Teen