Menu
Busca terça, 26 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
EDITORIAL

Não te suporto, mas não te largo

29 fevereiro 2016 - 06h12

O PMDB comprou novamente briga com o governo Dilma Rousseff (PT) e mostrou, através de seu horário eleitoral gratuito na noite de quinta-feira passada, que está mais uma vez em rota de colisão com a atual gestão do país. O partido colocou vários de seus correligionários no ar – incluindo ai o investigado presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha -, tecendo críticas a atual situação do Brasil.

Durante os pronunciamentos, o PMDB questionou vários pontos da atual política econômica brasileira, entre eles o seu crescimento abaixo do esperado, inflação e o desemprego.

A medida é uma forma de tentar se desvencilhar da falta de popularidade a qual o governo passa desde o ano passado.

Apesar da ação válida e democrática, os minutos usados em rede nacional pelos peemedebistas podem ser considerados também como um tiro no pé, afinal, estão juntos e casados com o PT há mais de cinco anos.

Porém, mais que isso, o partido se mostra no âmbito nacional dividido e ao mesmo tempo exposto de uma maneira que não necessita ficar. Ora, se não gosta, larga o osso e siga a sua vida. Ou os nobres políticos acreditam que estão isentos de qualquer culpa pela atual situação do país?

A relação PT/PMDB se mostra cada vez mais de conveniência entre ambos. O famoso ‘gosto muito de você, principalmente quando preciso’. E isso tem atrapalhado o Brasil, afinal, quem pretende se aproximar de alguém em crises conjugais?

As arestas entre o governo e sua base aliada – ou não tão aliada assim – devem ser aparadas e a situação resolvida o quanto antes. A presidente também deve se posicionar diante do fato e mostrar personalidade ao chamar sua base para a conversa e definir a situação.

O que não pode é ficarmos diariamente nesse chove não molha que de nada serve, nem mesmo para a oposição. O Brasil precisa de ideias, de um posicionamento e um direcionamento para deixar essa maré ruim na economia e que tem afastado investidores daqui, por isso é necessário que a situação entre a base aliada seja solucionada. Juntos ou não, a vida segue, porém, através de decisões tomadas, já que de tapas e beijos, todos estão cheios.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CULTURA
Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para edição 2021
Ignore o fardo e viva a vida
OPINIÃO
Ignore o fardo e viva a vida
MATO GROSSO DO SUL
Frentistas discutem reajuste salarial e outros benefícios no domingo em Campo Grande
BRASIL
Ministério faz consulta pública sobre política de promoção da saúde
EDUCAÇÃO
IFMS reabre prazo de matrículas da 1ª chamada para cursos técnicos integrados
IMUNIZAÇÃO
Vacinas já distribuídas atendem cerca de 10% dos públicos prioritários
PANDEMIA
Covid-19: Brasil tem 1,2 mil mortes e 61,9 mil infectados em 24 horas
ECONOMIA
Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom
PANDEMIA
Variante do coronavírus do Amazonas é identificada em São Paulo
MATO GROSSO DO SUL
Governo pode cancelar ponto facultativo de Carnaval para conter avanço da Covid

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista envolvido em acidente fatal relata bebida ao depor e é liberado 
ACIDENTES
Trânsito de Dourados faz terceira vítima fatal no ano, todas motociclistas
CRIME
Vizinhança flagra suspeito pulando muro e evita furto em Dourados
BR-276
Carreta com quase dez toneladas de maconha é apreendida em Dourados