Menu
Busca quarta, 01 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Não limpe os ouvidos com cotonetes. Pode machucar!

19 fevereiro 2013 - 17h56



O orifício de nossos ouvidos, cujo nome correto é conduto auditivo externo, não deve ser limpo com cotonetes. O uso de hastes flexíveis de plástico com algodões nas pontas pode machucar o órgão. Além disso, ao invés de limparmos totalmente o canal do ouvido, estamos na verdade fazendo com o cotonete apenas uma limpeza parcial, pois o resto de cerume que não é retirado vai se acumulando e com o tempo chega a obstruir totalmente o canal auditivo, causando uma diminuição importante da audição.


O alerta é do médico otorrinolaringologista Marcelo Toledo Piza, da Clínica Toledo Piza, parceiro da Telex Soluções Auditivas no interior de São Paulo. “O que ocorre é que muitas vezes traumas pequenos na pele do conduto auditivo levam a inflamações e infecções que causam dor e muitas vezes pus, dificultando a limpeza e causando diminuição da audição.


O médico revela que são comuns acidentes graves nos ouvidos, principalmente durante a infância, com o uso de cotonetes, lápis, tampas de caneta, gravetos e até clipes. “Há casos inclusive de pessoas que durante a limpeza dos ouvidos se distraem com alguma coisa e deixam o cotonete no ouvido. Esse esquecimento é lembrado depois de maneira dolorosa e perigosa quando, por exemplo, a pessoa atende o telefone”.


O especialista lembra que as pessoas não têm ideia do perigo que correm com essa limpeza inadequada. “Lesões da pele do conduto, da membrana timpânica e às vezes até dos ossículos que temos dentro de nossos ouvidos podem causar problemas como perfurações da membrana e fraturas dos próprios ossículos, que podem comprometer a audição, até mesmo de maneira definitiva”.


Não tenha medo de ficar com o ouvido sujo. Quando há cera visível, podemos retirá-la com a ajuda de uma toalha úmida; e para manter a higiene, basta lavar com água e esfregar atrás da orelha e as curvinhas durante o banho.


Mas se já há suspeitas de problemas para ouvir, o melhor é procurar um médico otorrinolaringologista. É ele quem vai examinar, diagnosticar o grau e o tipo de perda auditiva e qual a melhor solução. Muitas vezes o uso do aparelho auditivo resolve o problema e é essencial para que o indivíduo resgate sua autoestima.


Depois do diagnóstico do médico, cabe aos fonoaudiólogos indicar qual tipo e modelo de aparelho são indicados para atender às necessidades do deficiente auditivo. “Ao comprovar a perda auditiva, o aparelho será então regulado para tornar os sons audíveis para o paciente. Atualmente, há uma diversidade de modelos de aparelhos auditivos, com design moderno, quase invisíveis no ouvido, adequados para diferentes graus de perda auditiva e que não ofendem a vaidade de quem usa”, conclui a fonoaudióloga Isabela Gomes, da Telex Soluções Auditivas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Rapaz é preso quando tentava arremessar maconha para dentro de presídio
AJUDA FINANCEIRA
Dinheiro do governo permitirá que pessoas mantenham isolamento, diz Guedes
CAMPO GRANDE
Banco deve declarar inexistente fraude no cartão de R$ 61 mil
COVID-19
Saúde prepara protocolo sobre uso de máscaras por pessoas sem sintomas
PANTANAL
Mulher e criança feridas ao cair de charrete são resgatadas em aeronave
JUDICIÁRIO
CNJ e Ministério da Saúde autorizam enterros e cremações sem atestado de óbito
TACURU
Paranaense é multado em R$ 7,5 mil por incêndio em madeira e galhadas
JUSTIÇA
Falha no conserto de veículo segurado gera indenização a consumidor
PARANAÍBA
Jovem de 20 anos é preso com R$ 190 em cédulas falsas de dinheiro
EDITORIAL
Jornal britânico 'The Guardian' diz que Bolsonaro é 'perigo para brasileiros'

Mais Lidas

REGIÃO
Ex-assessor de Mandetta é encontrado morto em apartamento na Capital
COVID-19
Primeiro óbito por coronavírus do Estado é registrado em Dourados
DOURADOS
Homem leva surra de populares e é detido por furtar dois veículos em Dourados
COVID-19
MS tem oito confirmações de coronavírus em 24h e suspeitos chegam a 51