Menu
Busca terça, 20 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Musical mostra ascensão e queda de Maradona

12 janeiro 2004 - 09h52

Uma cena com drogas, suor e lágrimas marcou a estréia no sábado de um musical que narra a turbulenta trajetória, mostrando a ascensão e queda, do astro do futebol argentino Diego Maradona. Uma história que conta sobre um jovem pobre, que morava em uma cidadezinha de seu país natal e se tornou celebridade, ao conquistar a Copa do Mundo de 1986. Pessoas que assistiram ao musical, em Buenos Aires, disseram estar chocadas com o tratamento franco como se mostrou o lado mais obscuro de Maradona. Uma mistura de realidade e ficção com orgias, brigas violentas com paparazzi e desavenças com todos, desde o príncipe Charles até um presidente corrupto argentino. O astro de 43 anos, aposentado, que passou os últimos quatro anos em Cuba recuperando-se de uma overdose, não apareceu na noite de abertura. Produtores disseram que ele já havia aprovado o projeto e receberá parte do lucro da peça. Nos primeiros 10 minutos, o espetáculo lidou com um tema tocante: um jovem Maradona fictício, com ares de auto-confiança em uma festa em Paris, é abordado por uma bela mulher que lhe abre uma pequena caixa prateada. "Quer um pouco?", ela murmura, confiando a caixa a ele. "Um pouco de quê?", pergunta Maradona inocentemente. Em outra cena, Maradona se ajoelha em um campo brilhante e, enquanto algumas lágrimas escorrem, ele pergunta a Deus: "De que adianta ser o melhor jogador do mundo se não me sinto feliz?". Alguns dos presentes afirmaram que o show fez Maradona parecer muito mais uma vítima indefesa de cartolas inescrupulosos do futebol. "Eles fizeram um conto de fadas", disse um tablóide que acompanhou a vida de Maradona por muitos anos. "Diego nunca diria algo assim. Eles inventaram isso para que ele parecesse um anjo." Segundo a produção do show, o investimento para viabilizá-lo foi por volta de US$ 350 mil, mais os direitos de divulgação. Produtores afirmaram ainda que uma produtora inglesa estaria negociando para obter os direitos de apresentar o show no leste europeu. "Acho incrível o que acontece com pessoas quando elas nascem pobres e se tornam imensamente ricas", disse Franklin Caicedo ao jornal argentino Clarín. Ele interpreta uma versão octagenária de Maradona no futuro, já amargurado e sozinho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MINAS GERAIS
Avião cai no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte
Com motorista embriagado e duas menores portando droga, veículo é abordado e 5 vão para a delegacia
PARANAÍBA
Com motorista embriagado e duas menores portando droga, veículo é abordado e 5 vão para a delegacia
Idosos e profissionais de saúde podem tomar segunda dose de vacina contra Covid amanhã
DOURADOS
Idosos e profissionais de saúde podem tomar segunda dose de vacina contra Covid amanhã
EMPREGO
Funtrab fecha primeiro trimestre de 2021 com mais de 10 mil vagas intermediadas
BRASIL
Arrecadação federal sobe 18,5% e bate recorde para meses de março
ARTIGO
Você trata bem sua esposa?
JUSTIÇA
Serviço de limpeza é retomado em Dourados após TCE revogar decisão
NEGÓCIOS & CIA
Muito mais flexibilidade e conforto para você: Coleção fitness Thais Matos Lingerie
PANDEMIA
MS participa de consórcio para compra de 28 milhões de doses de vacina contra Covid
DOURADOS
Com apenas seis bolsas do tipo O-, Hemocentro faz apelo por doação de sangue

Mais Lidas

ASSALTO
Mulher tem carro roubado ao parar no semáforo em Dourados
POLÍCIA
Irmãos morrem após serem atropelados por caminhonete em rodovia
LOTERIAS
Mega-Sena premia uma aposta com R$ 40 milhões e 11 douradenses acertam a Quadra
DOURADOS/ITAPORÃ
Produtor rural morto em acidente na MS-156 voltava de aniversário em pesqueiro