Menu
Busca sábado, 25 de setembro de 2021
(67) 99257-3397

Sem-tetos podem ter que deixar área ocupada

02 outubro 2014 - 15h30

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) busca uma solução para a utilização do pátio operacional abandonado da antiga estação ferroviária de Ponta Porã, que hoje é ocupado por mais de 400 famílias sem teto. O espaço é de concessão da América Latina Logística (ALL), que requer na Justiça a reintegração de posse. As famílias ocupam o local ocioso desde o início de 2012.

Em reunião na sede da Procuradoria da República em Ponta Porã, no último dia 23, representantes do MPF, da União e da ALL, além do prefeito de Ponta Porã, definiram em acordo que a América Latina Logística deverá se manifestar sobre o interesse e a viabilidade de exploração econômica do pátio operacional, hoje ocioso. Caso a ALL considere inviável o uso do pátio, poderá optar pela devolução do espaço ao acervo da União. O documento deve ser entregue em até 60 dias, após a vistoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no local, prevista para 14 de outubro.

A prefeitura, por sua vez, vai prosseguir com o cadastro dos moradores do local, verificando a possibilidade de encaixá-los em programas de moradia do governo. Para o MPF, “devolvido, o imóvel será destinado à finalidade pública, que poderá ser, inclusive, a realização de tratativas entre a União e o município para a destinação das famílias mediante, por exemplo, a permuta ou compra de imóveis públicos, dentre outras alternativas".

Utilização de espaço abandonado

Em meados de 2012, famílias pertencentes a movimentos populares sem-teto se estabeleceram no pátio operacional da estação ferroviária de Ponta Porã, que desde 1997 é de concessão da América Latina Logística.

Vistoria do Ministério Público Federal apontou que, no local, algumas famílias construíram pequenas edificações de quatro paredes sem divisórias, ou armaram barracos que existem até hoje. Há também a presença de especuladores, que tentam se aproveitar da situação para obter a suposta propriedade de forma indevida.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Em nove meses, multas do CCZ superam R$ 1,3 milhão
DOURADOS
Em nove meses, multas do CCZ superam R$ 1,3 milhão
União deve fornecer medicamento de alto custo à criança portadora de Amiotrofia Espinhal Progressiva
União deve fornecer medicamento de alto custo à criança portadora de Amiotrofia Espinhal Progressiva
TRT-MS
Juiz Tomás Bawden toma posse como desembargador do Trabalho na segunda-feira 
Médico denunciado por cobrar cirurgia no SUS tem HC negado no STF
FLAGRANTE
Médico denunciado por cobrar cirurgia no SUS tem HC negado no STF
Comitê de Saúde discute uso do pregão eletrônico para compra de medicamentos pelo SUS
ESTADO
Comitê de Saúde discute uso do pregão eletrônico para compra de medicamentos pelo SUS
JUSTIÇA DO TRABALHO
MS tem mais de 350 audiências em três dias de conciliação e execução trabalhista
ECONOMIA
Microempreendedores têm menos de uma semana para regularizar dívidas
DOURADOS
Projeto de esporte e lazer retorna ao Antenor Martins e quadras são revitalizadas
FRONTEIRA 
Carga de maconha escondida em postes de concreto supera 2 toneladas
MS-156
Motorista fica preso dentro de veículo após capotamento em Dourados

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é encontrado morto em casa por funcionária na Vila São Brás
RACISMO
Em SP, DJ Alok recorda exclusão de integrantes do 'Brô MCs' durante show em Dourados 
TRAGÉDIA 
Motociclista morre na BR-163 em Dourados após bater em uma capivara 
DOURADOS
Júri condena jovem que matou amiga com tiro na nuca e alegou 'acidente'