Menu
Busca sexta, 23 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Morte por greve de fome reabre debate sobre eutanásia

24 julho 2007 - 08h45

A morte de Giovanni Nuvoli, que sofria de esclerose lateral amiotrófica e pedia para ter o respirador que o mantinha vivo desligado, reabriu o debate sobre a eutanásia na Itália.
Nuvoli morreu na noite de segunda-feira em sua casa de Alghero, na ilha de Sardenha, depois de ter sua condição física agravada por uma greve de fome e sede, que começou como protesto contra a decisão judicial. "Sofreu como um cachorro", disse hoje a mulher de Nuvoli, Maddalena Soro, ao contar que o marido "se deixou morrer" após decidir não se alimentar nem beber desde 16 de julho.
"Giovanni Nuvoli morreu de maneira indigna devido a uma decisão do Estado italiano", explicou o eurodeputado do partido Radical Marco Cappato. O caso de Nuvoli, que há sete anos vivia preso à cama, se soma à decisão tomada na segunda-feira pela juíza da audiência preliminar do Tribunal de Roma Zaira Secchi de não denunciar judicialmente o anestesista Mario Riccio, que desligou o respirador que mantinha Piergiorgio Welby com vida, após expressa vontade deste.
Os dois casos reabriram o debate sobre a legalização da morte assistida, e a necessidade de introduzir o chamado "testamento biológico ou vital", uma declaração antecipada das vontades sobre como ser tratado em caso de doenças crônicas. "A vida é um grande dom de Deus e ninguém pode encerrá-la, menos ainda um juiz ou um político", afirmou o cardeal português José Saraiva Martins em entrevista publicada na edição de hoje do jornal La Repubblica.
O oncologista e ex-ministro da Saúde italiano Giovanni Veronesi qualificou a sentença da juíza de Roma como um importante passo e que o Parlamento "não pode ignorar". Segundo o porta-voz do partido Itália dos Valores - da coalizão governamental de centro-esquerda -, Massimo Donadi, os casos significam uma chamada aos legisladores para que "enfrentem a questão do testamento biológico".
"O Parlamento tem que encontrar o tempo e a forma para aprovar definitivamente uma lei clara sobre estes casos", acrescentou. Membros da coalizão de centro-direita consideraram a decisão de não julgar o anestesista, que enfrentaria uma possível condenação de 15 anos por ajudar alguém a cometer suicídio, uma "perigosa" abertura à eutanásia.
"Na Itália não existe nenhuma lei que autorize a eutanásia", e, mesmo que "seja por pedido do interessado, é um crime que deveria ter conseqüências jurídicas", disse o líder de União de Democratas Cristãos (UDC), Lorenzo Cessa.
Membros da coalizão de centro-esquerda consideraram que a sentença responde à aplicação da Constituição, que prevê que cada cidadão possa dar indicações sobre o tratamento que deseja receber.
A ministra da Saúde, Livia Turco, comentou que "não é aceitável a eutanásia", mas é "necessário respeitar a vontade do doente que não quer ser curado". "Agora a palavra passa aos legisladores, que terão que garantir os direitos do médico e do paciente", acrescentou Turco.
Uma comissão formada por 47 especialistas italianos e oito estrangeiros debate há meses - sem entrar em acordo - a definição de um texto para o projeto de lei para introduzir o testamento vital no país.
 










 

 

 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com auxílio de câmeras, suspeito de roubo em posto de combustível é preso
POLÍCIA
Com auxílio de câmeras, suspeito de roubo em posto de combustível é preso
IMUNIZANTE
Fiocruz libera mais 3,8 milhões de vacinas contra covid-19 para o PNI
VIOLÊNCIA
Homem é baleado por pistoleiros em cidade da fronteira com Paraguai
Suspeito de disparos com arma de fogo é preso pela polícia civil
ARAL MOREIRA
Suspeito de disparos com arma de fogo é preso pela polícia civil
APREENSÕES
TJ/MS anuncia abertura de leilões com 77 lotes de veículos e sucatas
FUTSAL
Novato de MS quer surpreender na Taça Brasil e encara o atual campeão na estreia
POLÍCIA
Após perseguição, polícia apreende três veículos com produtos de contrabando e descaminho
POLÍCIA
Em meia hora, dois são presos por violência doméstica
ALERTA
Golpista usa nome de secretário de saúde para arrecadar fundos em falso jantar
COTAÇÃO
Dólar fecha próximo da estabilidade nesta sexta-feira

Mais Lidas

DOURADOS
Onda de frio vai embora e previsão é de termômetros acima de 30ºC
DOURADOS
Polícia fecha 'boca' na Cachoeirinha e quatro são levados à delegacia
UTILIDADE PÚBLICA
Manutenção: onze bairros podem ficar sem água em Dourados; confira a lista
VIAS DE FATO
Confusão entre "trisal" resulta em agressão e envolvidos vão parar na delegacia