Menu
Busca quarta, 01 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Mobilização da OAB/MS alerta para prevenção da dengue dia 23

19 março 2013 - 16h40



Os ovos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, podem durar até 450 dias sem água, segundo o Instituto Oswaldo Cruz. Os cuidados quanto à limpeza de recipientes e quintais, mesmo após o término da época de chuva, podem garantir que a incidência da doença diminua no próximo ano. Nesse sentido, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), irá fazer uma mobilização no próximo dia 23, sábado, no centro de Campo Grande, levando informações sobre os canais de denúncia de focos do mosquito e sobre os direitos dos pacientes sob suspeita da doença.

Em Mato Grosso do Sul houve aumento de 4.757% nas ocorrências registradas de 2012 para 2013. No período de 30 de dezembro de 2012 a 26 de fevereiro deste ano foram 49.262 notificações . No Brasil, o crescimento foi de 190%. Os dados fazem parte do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), do Ministério da Saúde. “Se não cuidarmos da prevenção esse ano, em 2014 a epidemia de dengue será ainda maior. Nossa obrigação é alertar a população a continuar com o dever de casa no combate à dengue durante todo o ano”, aponta o presidente da OAB/MS, Júlio Cesar Souza Rodrigues.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo inteiro. A doença está presente em 100 países, com 550 mil notificações e 20 mil óbitos. A prevenção é apontada pela OMS como a principal arma de combate. Em função do grande tempo de vida dos ovos, a recomendação é a limpeza durante todo o ano dos locais que possam acumular água nos períodos chuvosos. Os ovos ficam grudados nas paredes dos recipientes e por isso os utensílios precisam ser limpos com escova ou palha de aço.

A mobilização de combate à dengue da OAB/MS acontece a partir das 9 horas. O presidente da Seccional, membros da diretoria e um grupo de mais de 50 advogados irá ao centro de Campo Grande para orientar os comerciantes e a população que circula no quadrilátero central da capital sobre os canais de denúncia para os possíveis focos do mosquito, sejam terrenos privados ou públicos, e quanto aos direitos relacionados ao paciente infectado pela doença.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Rapaz é preso quando tentava arremessar maconha para dentro de presídio
AJUDA FINANCEIRA
Dinheiro do governo permitirá que pessoas mantenham isolamento, diz Guedes
CAMPO GRANDE
Banco deve declarar inexistente fraude no cartão de R$ 61 mil
COVID-19
Saúde prepara protocolo sobre uso de máscaras por pessoas sem sintomas
PANTANAL
Mulher e criança feridas ao cair de charrete são resgatadas em aeronave
JUDICIÁRIO
CNJ e Ministério da Saúde autorizam enterros e cremações sem atestado de óbito
TACURU
Paranaense é multado em R$ 7,5 mil por incêndio em madeira e galhadas
JUSTIÇA
Falha no conserto de veículo segurado gera indenização a consumidor
PARANAÍBA
Jovem de 20 anos é preso com R$ 190 em cédulas falsas de dinheiro
EDITORIAL
Jornal britânico 'The Guardian' diz que Bolsonaro é 'perigo para brasileiros'

Mais Lidas

REGIÃO
Ex-assessor de Mandetta é encontrado morto em apartamento na Capital
COVID-19
Primeiro óbito por coronavírus do Estado é registrado em Dourados
DOURADOS
Homem leva surra de populares e é detido por furtar dois veículos em Dourados
COVID-19
MS tem oito confirmações de coronavírus em 24h e suspeitos chegam a 51