Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Ministério da Agricultura inscreve para 288 vagas até hoje

17 dezembro 2009 - 08h14

O Ministério da Agricultura recebe até hoje, dia 17 de dezembro, inscrições para concurso público com o objetivo de preencher 288 vagas com salários de até R$ 2.643,28. Entre os postos disponíveis, há vagas para agente administrativo (257), administrador (18), contador (cinco), economista (duas), analista de sistema (seis).

As inscrições podem ser feitas apenas pela internet, no site da Fundação Dom Cintra e a taxa é de R$ 42,00 para o cargo de nível intermediário (agente administrativo) e de R$ 55,00 para os cargos de nível superior.

Para os candidatos que não tiverem acesso à internet, a FDC disponibilizará locais de atendimento, no horário das 9 às 17 horas. A relação dos locais pode ser vista no site. As provas do concurso devem ocorrer na data provável de 24 de janeiro de 2010, em todas as capitais do país e no Distrito Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Deputados devem votar cinco projetos na sessão desta quinta-feira
TRÁFICO
Adolescente de 15 anos é apreendido com 23 quilos de maconha
ECONOMIA
Mais de 100 veículos estão disponíveis no segundo leilão de sucata
DOURADOS
Ministro do STJ nega pedido de Braz para suspender decisão que pode custar mandato
TRÁFICO DE DROGAS
Homem é preso transportando toneladas de maconha na BR-463
UFGD
Universitários podem se inscrever em competição de esportes on-line
LOTERIA
Mega-Sena acumula mais uma vez e prêmio vai a R$ 38 milhões
CAPITAL
Golpista clona WhatsApp de vereador e pede dinheiro a pelo menos 30 pessoas
AJUDA DE 600 REAIS
Mais 2,5 milhões de pessoas recebem hoje o Auxílio Emergencial
MORENINHAS
Idoso morre carbonizado durante incêndio em residência

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher