Menu
Busca quarta, 28 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
TERRORISMO

Militantes islâmicos matam 184 pessoas em ataque a mesquita no Egito

24 novembro 2017 - 12h05Por Terra

Ao menos 184 pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas, nesta sexta-feira, dia 24 de novembro, em um ataque de militantes islâmicos com uma bomba e armas de fogo contra fiéis que oravam em uma mesquita no norte do Sinai, região conflagrada do Egito, informou a mídia estatal.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo ataque, o mais letal já cometido na região, onde forças de segurança combatem há três anos uma insurgência do Estado Islâmico que já matou centenas de policiais e soldados.

A mídia estatal mostrou imagens de vítimas ensanguentadas e corpos cobertos por mantas dentro da mesquita Al Rawdah, localizada em Bir al-Abed, a oeste da cidade de El Arish. Ao menos 184 pessoas morreram e dezenas sofreram ferimentos, de acordo com a mídia estatal.

A rede de televisão Al Arabiya e algumas fontes locais disseram que alguns dos fiéis eram sufis, que extremistas como os membros do Estado Islâmico veem como apóstatas por reverenciarem santos e santuários -- algo equivalente à idolatria para os islâmicos.

O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, ex-militar que se posiciona como opositor da militância islâmica na região, convocou uma reunião de emergência de seu comitê de segurança logo depois do atentado, informou a TV estatal.

Os militantes têm visado principalmente as forças de segurança em seus ataques desde que a violência se agravou no Sinai depois de 2013, quando Sisi, então um comandante das Forças Armadas, liderou a deposição do presidente Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana.

Mas os jihadistas também têm atacado tribos locais do Sinai que estão trabalhando com as Forças Armadas, classificando seus membros como traidores por cooperarem com o Exército e a polícia.

Em julho deste ano, ao menos 23 soldados foram mortos quando carros-bomba atingiram dois postos de segurança militares no Sinai, um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico.

Os militantes vêm tentando se expandir para além da desolada e desértica Península do Sinai e agir no território continental densamente povoado do Egito, e já atacaram igrejas de cristãos coptas e peregrinos.

Em maio, atiradores atacaram um grupo copta que viajava a um monastério no sul egípcio, matando 29 pessoas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REAÇÃO
Crianças de 8 e 10 anos batem no pai para salvar mãe de espancamento
DOURADOS
Conveniência é invadida pelo telhado e ladrão leva R$ 1,2 mil
PROPOSTA CRITICADA
Líder do governo diz que vai pedir plebiscito para nova Constituição
RIO BRILHANTE
Após discussão, homem é agredido com golpes de facão e fica em estado grave
CLIMA
Ainda contabilizando estragos de tempestade, Dourados tem segundo alerta na semana
DOURADOS
Companheiro inseparável, “Fumaça” viaja com hippie há quase um ano
FERIADO
UFGD decreta ponto facultativo em todas as unidades nesta quarta-feira
TV DOURADOS NEWS
Radialista há 10 anos, Thiago Wesley conta os desafios na profissão
CAPITAL
Ladrão apanha e é preso ao tentar roubar bicicleta e arrastar jovem
UNIGRAN
Atleta paralímpica representa o Centro-Oeste nos Jogos Universitários

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
GRANDE DOURADOS
Cobertura de barracão de cerealista ‘voa’ com o vento; veja vídeo
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
DOURADOS
Délia decreta emergência por causa de danos provocados pela tempestade