Menu
Busca segunda, 30 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%

20 janeiro 2020 - 12h20Por Agência Brasil

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa para a inflação este ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) caiu de 3,58% para 3,56%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC), que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação se mantém em 3,75%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,50% em 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente definida em 4,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve se manter em 4,5% ao ano até o fim de 2020. A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Para 2021, a expectativa é que a taxa básica suba para 6,25%. Para 2022 e 2023, as instituições estimam que a Selic termine os períodos em 6,5% ao ano.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – variou de 2,30% para 2,31% para 2020. As estimativas das instituições financeiras para os anos seguintes, 2021, 2022 e 2023 continuam em 2,50%.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar está em R$ 4,05 para o fim deste ano e R$ 4,00 para 2021.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MALHA FINA
Receita Federal paga hoje restituição do IR para 198 mil contribuintes
Gaeco volta às ruas de Dourados com nova operação
OPERAÇÃO
Gaeco volta às ruas de Dourados com nova operação
SAÚDE
UFGD produz vídeos para o combate ao câncer de próstata e de mama
''Eu vou fazer o melhor de mim para ser um bom vereador'', diz Marcão da Sepriva.
TV DOURADOS NEWS
''Eu vou fazer o melhor de mim para ser um bom vereador'', diz Marcão da Sepriva.
OPORTUNIDADES
Funtrab intermedia 1.117 vagas de emprego em MS, 132 em Dourados
CAPITAL
Polícia Ambiental recolhe filhote de arara em residência
EDUCAÇÃO
Período de pré-matrícula da Rede Estadual começa nesta segunda-feira
SEU BOLSO
Prazo para pagamento da 1ª parcela do 13º salário termina nesta segunda
BR-376
Acidente entre Dourados e Fátima do Sul deixa um morto e dois feridos
TEMPO
Segunda-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados

Mais Lidas

DOURADOS
Primeira noite com novo toque de recolher tem flagrante de festa com 119 adolescentes
DOURADOS
Decreto é republicado por incorreção, agora com brechas para esporte coletivo e boliche
DOURADOS
Homem é preso com arma após ex-namorada correr até viatura da PM e denunciar ameaça
POLICIAL
Criminoso imita abordagem de polícia para cometer roubo em Dourados