Menu
Busca segunda, 25 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Mensalão do DEM tem elo com empresas de bicheiro

15 dezembro 2009 - 15h18

Um dos braços do suposto esquema de caixa dois do governador José Roberto Arruda (recém-desfiliado do DEM-DF) é ligado ao jogo do bicho.

As empresas Sapiens e Tecnolink, que no inquérito da Operação Caixa de Pandora são acusadas de irrigar por fora da contabilidade oficial a campanha do DEM, pertencem a Messias Antonio Ribeiro Neto, identificado pelo relatório da CPI dos Bingos do Senado, em 2006, como "empresário do jogo do bicho em Goiás".

A Sapiens, fabricante de softwares, assinou em 2006 contratos sem licitação de R$ 28 milhões com a Codeplan, órgão do DF que era presidido por Durval Barbosa, delator do esquema. Já a Tecnolink embolsou R$ 4,9 milhões.

Em depoimento à Justiça, Barbosa disse que, em troca dos contratos milionários sem licitação, as empresas de Ribeiro Neto pagavam despesas por fora na campanha de Arruda.

O Ministério Público do DF move ação contra a Sapiens e afirma que o esquema na Codeplan, incluindo contratos com outras empresas, envolveu R$ 500 milhões entre julho de 2005 e janeiro de 2006.

O empresário sempre negou atuar no jogo do bicho. Procurado, não telefonou de volta. À CPI dos Bingos ele disse que, em 1994, participou de um grupo empenhado na legalização das apostas. "Essa foi a ligação que houve com o jogo do bicho", afirmou na ocasião.

Bicho eletrônico

Ribeiro Neto é dono de uma empresa de jogos chamada Palpiteca, que há dez anos opera uma espécie de jogo do bicho eletrônico em Goiás, segundo a Polícia Civil paulista. Também foi sócio do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, também identificado pela CPI como bicheiro.

Os dois estiveram envolvidos no primeiro grande escândalo do governo Lula e que, em 2004, derrubou Waldomiro Diniz, na época subchefe de Assuntos Parlamentares da Presidência e ex-assessor do então ministro José Dirceu (Casa Civil). Num vídeo, Waldomiro foi filmado pedindo propina a Cachoeira -que fez a gravação.

Pela legislação em vigor, a exploração do jogo é considerada contravenção penal -com pena de quatro meses a um ano de prisão, além de multa.

A experiência policial demonstra que se trata de uma atividade organizada que está na origem de uma série de crimes ainda mais graves e lucrativos, como formação de quadrilha, corrupção, diferentes tipos de fraude, tráfico de influência, além de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A Folha percorreu na semana passada bancas de jogo do bicho em Goiânia, onde estaria localizada a sede da Palpiteca. A reportagem conversou com funcionários de bancas do jogo que confirmaram que as bancas são de Ribeiro Neto.

"Agora aqui só tem aposta de bicho mesmo?", a reportagem indagou. "Aqui é bicho e Quina Brasil [outra modalidade de jogo]", diz o funcionário da banca. "A Look é do seu Messias", completou. Look, segundo o Ministério Público de Goiás, é uma operadora de jogo do bicho.

A Sapiens não está mais no endereço em Brasília que consta na Receita Federal. Já no endereço que seria da Palpiteca, em Goiânia, funciona uma empresa de contabilidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UFGD
Seminário Virtual de Engenharia de Alimentos começa nesta 2ª-feira
PONTA PORÃ
Vendaval deixa rastro de destruição em comunidade indígena da fronteira
AUXÍLIO
Caixa paga hoje benefício para mais 7,8 milhões de trabalhadores
PARANAÍBA
Por suposta dívida, empresário atira no peito de homem em conveniência
TEMPO
Segunda-feira gelada, com sol entre nuvens em Dourados
STJ
Quinta Turma dará mais publicidade aos processos levados em mesa para julgamento
BRASIL
Câmara pode votar Lei de Emergência Cultural na próxima terça-feira
BRASIL
Firjan Senai oferece cursos de aperfeiçoamento para todo o país
STJ
Juiz deverá aplicar medidas coercitivas a familiares que se recusam a fazer DNA, sejam ou não parte na investigação de paternidade
STF
Empresas optantes pelo Simples têm direito a imunidades em receitas decorrentes de exportação

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Homem morre atropelado por rolo compactador
PANDEMIA
Dourados ultrapassa marca de 100 casos confirmados de coronavírus
MARACAJU
Homem morre após tentativa de fuga e troca de tiros com a polícia
MS-145
Motorista disse não ter visto momento que atropelou e matou ciclista