Menu
Busca quarta, 04 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

MEC vai tentar modificar Prouni no Senado ou por vet

04 dezembro 2004 - 15h28

O governo Federal tentará modificar no Senado a medida provisória que institui o Prouni (Programa Universidade para Todos). Ontem, a MP foi aprovada pela Câmara, mas com modificações que desagradaram o ministro da Educação, Tarso Genro.O Prouni tem como objetivo custear o ensino superior de estudantes pobres. Pela MP, as instituições que aderirem ao programa ficam isentas de vários tributos federais. Em troca, teriam que destinar 10% de suas vagas para alunos pobres. Uma emenda da oposição, no entanto, reduziu essa contrapartida de 10% para 7%, o que encolherá as vagas previstas em 2005 para esses estudantes em cerca de 25 mil (de 110 mil para 88,4 mil), segundo cálculos do MEC.Genro afirmou que o governo só aceitou a emenda da oposição devido à necessidade de votar a MP para desobstruir a pauta da Câmara, mas que tentará mudar o texto da medida."Foi necessário para desobstruir a pauta de votações", disse o ministro da Educação. "Nós vamos tentar reverter essa votação no Senado. Se não conseguirmos, vamos examinar tecnicamente a possibilidade de veto", afirmou.O ministro disse que a mudança contrariou o que foi acertado com várias instituições de ensino, atendendo à pressão de uma única universidade."Essa votação cedeu a um movimento feito por uma instituição, a Unip [Universidade Paulista], comandada por uma pessoa que tem interesses no setor, e que tem o direito de processar esses interesses. Assim como nós temos o direito de resistir", disse o ministro. "Nós nos consideramos vitoriosos. Mas achamos que essa vitória poderia ser maior", afirmou.O reitor da Unip, João Carlos Di Genio, disse que de maneira alguma foi o responsável pela emenda ao projeto que diminui de 10% para 7% as vagas para alunos pobres nas universidades particulares do país. "Esse número (7%) é resultado de um relatório da Trevisan Associados, a quem solicitamos um parecer sobre o Prouni", disse.Ele afirma que sempre apoiou o projeto e que se o Senado achar por bem manter os 10% das vagas, continuará dando seu apoio da mesma forma. "O projeto do ministro Tarso é muito bom e sempre contou com meu apoio".Di Genio é membro da Anup (Associação Nacional das Universidades Particulares). Fax enviado à redação da Folha Online mostra que o MEC recebeu no dia 29 de setembro uma carta da Anup em que esclarece que os 7% é resultado de um parecer da Trevisan Associados. "Para o ministro dizer que a Unip é quem está por trás da emenda é porque talvez não tenha lido a carta que enviamos a ele sobre o parecer da consultoria (Trevisan)", afirmou Di Genio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME AMBIENTAL
Usina sucroenergética é multada em R$ 2,550 mi por incêndio em matas
BRASIL
Deputados aprovam texto-base de projeto sobre regularização fundiária
Avião apreendido com cocaína é de piloto do MS preso por tráfico
EDUCAÇÃO
UFGD oferece vagas em disciplinas isoladas em mestrado e doutorado
Mulher é multada em R$ 5 mil por construção de um rancho pesqueiro
MEIO AMBIENTE
Mulher é multada em R$ 5 mil por construção de um rancho pesqueiro
FUTEBOL
Vanderlei Luxemburgo é o novo técnico do Cruzeiro
NOVA ANDRADINA
Polícia apreende 310 quilos de maconha e 16,5 quilos de skunk na BR-376
REGIÃO
Agosto Lilás, lança campanha de enfrentamento à violência doméstica
Arara-canindé morre eletrocutada após bater em fiação de energia
COMISSÃO
Deputados convocam Braga Netto a explicar suposta ameaça às eleições

Mais Lidas

DOURADOS
Assessora vai à polícia e diz que foi ameaçada de morte por vereadora
DOURADOS
Após ideia da filha, empresária cria 'varal comunitário' para ajudar quem tem frio
MORTE A ESCLARECER 
Encontrado inconsciente em praça, idoso morre no HV após passar uma semana internado
DOURADOS 
Usuário de drogas procura delegacia após ser assaltado em boca de fumo