terça, 16 de agosto de 2022
Dourados
29°max
19°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Mato Grosso do Sul implanta o Sistema Vigisolo

31 agosto 2004 - 11h07

O Governo de Mato Grosso do Sul através da Secretaria de Estado de Saúde em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente, iniciaram hoje, dia 31 de agosto, o Sistema Vigisolo, cuja finalidade é conhecer , detectar e controlar fatores ambientais de risco e outros agravos à saúde predominantes da contaminação no solo.Como primeira etapa da implantação, os técnicos estarão realizando levantamentos visuais, nos entornos, relacionando principalmente as populações expostas e o ecossistema vulnerável, como o aqüífero guarani e o Pantanal. As principais áreas a serem levantadas pelas equipes serão focadas nas questões agrárias, depósitos de agrotóxicos, indústrias frigoríficas, curtumes , serralherias, usinas de açúcar e álcool e mineradoras.Uma consultoria técnica do Ministério da Saúde, estará acompanhando os trabalhos, subsidiando planejamentos e estratégias favorecendo assim ações desencadeadas e direcionadas para uma melhor finalização dos trabalhos no estado.Segundo Márcio Toledo, Coordenador da Vigilância Sanitária no Estado, "este trabalho visa o aprimoramento de todas os órgãos e entidades diretamente relacionados , cuja participação das secretarias municipais é importante, porque está agregada a informações e a outros  trabalhos de ong"s e fundações ligados ao meio ambiente, pesquisas minerais, indústrias e saneamento básico, visando tornar com isso uma integração maior na vigilância em saúde de forma mais eficaz,". frisou .De acordo com o diagnóstico Nacional de Áreas com Solos Contaminados, realizado pela Coordenadoria Geral de Vigilância Ambiental e Saúde- CGVAM, as informações sobre as áreas  serão monitoradas  e cadastradas em um banco de dados do programa, cuja finalidade será controlar as oito variáveis que são as áreas  de disposição final de resíduos urbanos e industriais, unidades de posto de abastecimento de combustíveis,áreas de passivo ambiental e de contaminação natural.Segundo Toledo, "algumas doenças não são visíveis e não são de diagnóstico fácil, porque são adquiridas em áreas de trabalho junto ao solo contaminado, e em geral é um processo longo de incorporação do contaminante que afeta ou afetou o solo, mas que no geral afeta diretamente a saúde da população envolvida. As doenças mais comuns relacionadas à estes agravos são as doenças pulmonares, musculares e até cardíacas," explica.Segundo estimativas do Ministério da Saúde, o programa Vigisolo, deverá estar em pleno funcionamento até novembro de 2004 em todos os estados da federação.Maiores informações na Coordenadoria de Vigilância sanitária de MS, tel.(67) 318-1722.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA

Eleições 2022: restam 2 dias de prazo para solicitar voto em trânsito

Casa fica destruída por incêndio causado por queda de raio
NOVA ANDRADINA

Casa fica destruída por incêndio causado por queda de raio

GERAL

TJ/MS disponibiliza nova edição da Revista Trimestral de Jurisprudência

CAMPO GRANDE

Identificação de homem assassinado e que teve corpo queimado com óleo pode levar 10 dias

ELEIÇÕES 2022

TSE autoriza que mais militares façam inspeção das urnas

COSTA RICA

Adolescentes denunciam servidor por assédio sexual em prefeitura

NÚMEROS DA PANDEMIA

Média de mortes por Covid volta a cair após 29 dias de estabilidade

POLÍCIA

Baleado, ladrão invade casa e pede para ficar até socorro chegar

BRASIL

Teto do ICMS pode ser revisto se estados perderem receita, diz Guedes

CAPITAL

Homem de 31 anos sofre tentativa de homicídio por dupla em moto

Mais Lidas

TRAGÉDIA

Passageiro tem corpo dilacerado ao cair de moto e ser atropelado por carreta 

ESTADO GRAVE

Mulher é esfaqueada por vizinho por se recusar a emprestar carregador

NOVA ANDRADINA

Funcionário de companhia de água encontra feto de bebê em esgoto

REGIÃO

Homem é preso por embriaguez após tombar carreta com placas de Dourados