Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 9860-3221

Marido pode ter matado mulher achada semi-nua na Capital

10 dezembro 2003 - 10h27

A Polícia Civil começa a esclarecer o assassinado de Aparecida Vanusa Siqueira, que foi encontrada semi-nua no domingo, na saída para Sidrolândia, perto do Lixão e da fábrica da Frutilla. Já sabe por exemplo que a última ocasião em que foi vista com vida foi na boate "Porteira Quebrada", onde esteve se divertindo com o marido, o tenente-coronel bombeiro Medina. A mulher foi morta com pancadas na testa.À polícia, o marido disse que deixou esposa com uma amiga e foi embora para casa cuidar dos dois filhos. A mãe da mulher assassinada está acusando o tenente-coronel de ser o mandante do assassinato, informou há pouco a FM Capital. No "Porteira Quebrada", Vanusa teria sido "paquerada" por dois homens, conhecidos como Beto Panataneiro e Gilson. A polícia, contudo, não tem ligações dois dois com o crime. O próximo passo será vistoriar o carro do tenente-coronel.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTA PREMIADA
Lista de ganhadores já está disponível para consulta
DOURADOS
Homem entra em veículo e anuncia assalto com arma de brinquedo; vídeo
COVID-19
Casos de coronavírus no Brasil em 29 de março
COXIM
Jovem de 17 anos esfaqueia tio por causa de buzina de carro
PANDEMIA
Ex-técnico René Simões testa positivo para o novo coronavírus
TRÊS MESES
Governo prorroga receitas de medicamentos da Casa de Saúde
74 ANOS
Bahia registra primeira morte de paciente com coronavírus
DOURADOS
Jovem tem moto furtada ao estacionar em via pública por 15 minutos
INTERIOR
Comerciante entrega R$ 15 mil para bandidos que mantinham família refém
FRONTEIRA
Acidente na MS-164 em Ponta Porã leva pai e filho a óbito

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato