Menu
Busca domingo, 20 de junho de 2021
(67) 99257-3397

Mar avança, destrói casas e ameaça praias no Ceará

28 dezembro 2003 - 09h35

Praias do litoral do Ceará estão ameaçadas de desaparecer por causa do avanço do mar, que destrói casas e afasta os turistas.Os efeitos da força das marés são mais visíveis em três praias: Barreiras, no município de Icapuí (192 km de Fortaleza), Iparana e Icaraí, ambas em Caucaia, na região metropolitana da capital.A chamada maré grande assusta até mesmo os moradores mais velhos, acostumados com as mudanças do mar. "Ninguém sabe se Deus é assim mesmo e deixa a natureza desfazer tudo o que Ele faz", disse Maria Vilani Barbosa, 70. Ela nasceu na praia de Barreiras e mora na mesma casa com a família há 50 anos.Casas e coqueiros que ficavam em frente à casa de Barbosa já não existem mais. Até mesmo uma rua estreita, construída pelos moradores para a passagem de veículos à beira-mar, começou a desmoronar de três anos para cá.Para impedir que o mar avance mais ainda, os moradores improvisam, em frente às casas, barreiras de madeira e pedra. Até um muro de tijolos chegou a ser construído na beira da praia, mas o mar já o destruiu parcialmente."A maré leva tudo embora, não espera por ninguém. Não adianta brigar com a natureza", disse o pescador Francisco de Assis Barbosa, 72, marido de Maria Vilani e patriarca de uma família formada por nove filhos, 36 netos e oito bisnetos, todos habitantes da praia de Barreiras."O mar não vai obedecer a uma cerquinha", disse a matriarca.O volume da maré varia de mês a mês, de acordo com o vento, a lua e as correntes marítimas. Durante o dia, há momentos em que o mar aparece mais recuado e outros em que avança mais.A saída, para os moradores, é mudar. "Se levassem a gente para uma casinha no alto da serra, já estava bom. Pelo menos a gente ia conseguir dormir à noite, sem medo de o mar invadir a nossa casa de repente", disse Zilda de Oliveira Barbosa, 33, outra moradora da localidade, onde vivem cerca de 250 famílias. A base da economia local é a pesca artesanal.Existe um projeto da Prefeitura de Icapuí para a construção de contenções de pedra dentro do mar, mas ainda não há previsão de quando a obra será realizada.CausasAinda não foi identificada uma causa específica para o avanço do mar na praia de Barreiras. Entre as hipóteses está o aquecimento do planeta, que provoca o derretimento de geleiras e o aumento do volume dos oceanos.Já em Caucaia, estudos indicam que a urbanização contribuiu para acelerar o processo erosivo e a diminuição da faixa de areia. Na cidade, o mar destruiu casas de veraneio nas praias de Iparana e Icaraí, dois dos principais destinos turísticos do Estado.De acordo com estudos coordenados pela UFC (Universidade Federal do Ceará), a construção de portos e dos chamados "quebra-mares" (espigões de pedra construídos dentro do mar, utilizados para conter o avanço das águas), em Fortaleza, é a causa da degradação ambiental existente em Iparana e Icaraí.Em seu curso normal, sem barreiras, as marés transportam sedimentos do próprio oceano de um lado para o outro, mantendo o equilíbrio ambiental. A partir do momento em que a maré encontra obstáculos, os sedimentos retirados de uma praia não podem ser levados para o seu destino natural, o que gera o avanço das águas em determinados pontos.No caso de Iparana, o processo de degradação começou na década de 70, como indicam pesquisas da UFC. Segundo um trabalho de 1989, intitulado "Dinâmica Sedimentar entre as Praias do Futuro e Iparana", o mar já havia avançado 300 metros na praia. Hoje, a faixa de areia no local praticamente não existe mais. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Jovem tenta fugir e acaba flagrado com 200 quilos e maconha
TRÁFICO
Namorados são presos após 'passeio' na fronteira de MS
Preso, motorista de Corolla que matou moto entregador nega "racha"
REGIÃO
Preso, motorista de Corolla que matou moto entregador nega "racha"
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio para nascidos em março
BRASIL
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio para nascidos em março
Caixa deve indenizar cliente por inscrição indevida em cadastro de proteção ao crédito
BRASIL
Caixa deve indenizar cliente por inscrição indevida em cadastro de proteção ao crédito
ESTADO
PMA prende dois por pesca irregular e apreende redes e 10 kg de peixes
RIO
População acima de 18 anos de Paquetá recebe hoje vacina AstraZeneca
MS
Carreta da Justiça retoma atendimentos nesta segunda-feira
MS
Parque das Nascentes do Rio Taquari conta com Centro de Visitantes para receber turistas
LOTERIAS
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena 

Mais Lidas

VIVAL DOS IPÊS
Com suspeita de latrocínio, mulher é encontrada morta em Dourados
ASSASSINATO
Investigações apontam que mulher foi atraída para o local do crime por proposta de trabalho
COVID-19
Após passar aniversário em UTI Covid, douradense recebe alta em Rondônia
DOURADOS
Autor de dois assaltos acaba preso tentando fugir da cidade pela BR-163