Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Mais uma moça tenta leiloar virgindade na web

26 janeiro 2010 - 18h00

Mais uma moça pura e de família tentou leiloar a virgindade na internet. A adolescente de 16 anos, que vive na Irlanda do Norte, não revelou seu nome. Apenas postou em um site na web que seu corpo está “disponível pela maior oferta”.
A jovem precisava de grana para bancar seus estudos.  Assim que publicou o leilão, as ofertas começaram a aparecer. Um repórter do país se fez passar por um milionário e fez uma oferta. A moça mandou um e-mail dizendo ter peitos avantajados, cabelos loiros e três piercings.  Logo depois, a garota aceitou a oferta e marcou um encontro para combinar detalhes.
A adolescente disse que trabalhava como vendedora, mas não conseguia juntar dinheiro para a faculdade.  Depois que o repórter revelou sua verdadeira identidade, a jovem disse que tudo não passava de uma brincadeira.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Empresária paulista perde R$ 50 mil ao negociar compra de sucata
ECONOMIA
Governo Federal libera mais R$ 28,7 bilhões para auxílio emergencial
TRÁFICO
PRF apreende 254 quilos de maconha e prende batedores na fronteira
SUPREMO
Celso de Mello envia à PGR requerimento contra Carla Zambelli
PONTA PORÃ
Motorista não explica procedência de R$ 68 mil e acaba na Polícia Federal
ARTISTA
Pagamento da 1ª parcela do edital “MS Cultura Presente” está disponível
POLÍTICA
Governo vai disponibilizar lista de quem recebeu auxílio emergencial
JUSTIÇA
Após 26 dias presa, mulher que matou marido a facadas ganha liberdade
BANDEIRA TARIFÁRIA
Conta de luz não terá cobrança extra até o fim do ano, informa Aneel
BR-262
Veículo furtado na Bahia é recuperado durante barreira sanitária

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher