Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(67) 99659-5905

Lei que restringe uso de telefones celulares é aprovada na AL

15 dezembro 2003 - 16h08

Levando em consideração o notório uso indiscriminado dos aparelhos de telefonia celular em locais e circunstâncias impróprias, segundo as normas de convivência e, causando em determinadas situações um clima desagradável e constrangedor, o deputado estadual Maurício Picarelli (PTB) elaborou projeto de lei que proíbe o uso de celulares nos postos de gasolina, cinemas, teatros, salas de aula, bibliotecas, sala de concertos, audiências e conferências. O projeto foi aprovado na sessão extraordinária do dia 10 de dezembro.O líder do PTB na Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul explica que não é contrário ao uso do celular, contudo, desde que este seja utilizado de forma correta. "Já se falou muito sobre celulares, suas enormes qualidades e também de sua inconveniência maior ainda quando é utilizado de forma errada. O fato é que as formas erradas de usar esse aparelho parecem aumentar em proporção muito maior do que as suas vantagens", comenta Picarelli.Segundo o parlamentar, as pessoas tem desrespeitado avisos que chamam a atenção delas quando do fato de desligarem seus celulares em determinados locais como teatros e cinemas. "Realmente é uma falta de educação deixar aparelhos de telefonia celular ligados onde a lei do silêncio deve ser respeitada", acrescenta o deputado.Em postos de gasolina, por exemplo, os celulares ativados podem facilitar e contribuir para uma explosão apesar de estudos e pesquisas ainda não comprovarem a responsabilidade do uso do celular neste tipo de ocorrência. Por esse motivo, a lei também tem por função prevenir futuros acidentes. Avisos - Nos locais abrangidos pela lei fica obrigatória a fixação de avisos proibitivos com indicação do número e data da mesma, em letras legíveis e de fácil visualização, contendo os seguintes dizeres: "É proibido o uso de aparelhos de telefonia celular neste local". As pessoas que desrespeitarem os avisos serão obrigadas a retirarem-se dos locais e, caso neguem-se a observar a recomendação, será pedida a intervenção policial. O descumprimento da lei acarretará multa 400 Uferms (Unidades Fiscais de Mato Grosso do Sul), que correspondem a aproximadamente R$ 4 mil. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FRONTEIRA
Polícia procura por traficante que fugiu de hospital vestido de médico
CONGRESSO
Câmara aprova texto-base de MP que autoriza sorteios na TV aberta
CAMPO GRANDE
Mulher foge do filho de 19 anos armado com faca após discussão
BRASÍLIA
Após três dias, PM diz que vai apurar uso de cavalo por Bolsonaro
TJ/MS
Justiça determina que Detran cumpra nomeação de concursados para cargos
UM ANO
UEMS prorroga validade de Concurso Público para Professor
CAPITAL
Mulher é agredida a socos na frente de filho de 4 anos ao cobrar pensão
DOURADOS
Cartão de Estacionamento Rotativo para idoso tem validade vitalícia
JULGAMENTO
Tenente-coronel que matou o marido major irá a júri popular dia 19
POLÍTICA
Senado aprova PL que obriga cobertura de tratamento de câncer em casa

Mais Lidas

EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Novo epicentro, Dourados é a cidade com mais casos de coronavírus em MS
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
TRÁFICO DE DROGAS
Casal é preso após entreposto da droga ser fechado em Dourados