Menu
Busca domingo, 24 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Lei "antipornografia" divorcia vereadores e Nelsinho Trad

20 janeiro 2010 - 10h33

A polêmica em Campo Grande em torno da lei antipornografia entre os vereadores e o prefeito da Capital, Nelsinho Trad, ganhou espaço na mídia nacional. A Folha Online poublicou hoje matéria, assinada por Matheus Picconelli, enfatizando a disputa em torno da moralidade na socidade campo-grandense.

Confira a seguir a íntegra da matéria:

Lei "antipornografia" gera polêmica em Campo Grande

A aprovação de uma lei "antipornografia" na Câmara Municipal de Campo Grande (MS) colocou em lados opostos o prefeito e vereadores da cidade.

Na última sessão de 2009, os vereadores aprovaram uma lei complementar que, em nome da "moral e os bons costumes da família", limita a "exibição de produtos e materiais eróticos e pornográficos" em vitrines, cinema e bancas de jornal.

A ideia é combater o acesso a produtos, como revistas eróticas e sex shop, por crianças e adolescentes e vetar a publicidade em outdoors de "assuntos obscenos" capazes de "explorar o lado sexual do indivíduo". A multa prevista é de R$ 1.000.

O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), 48, promete vetar a lei, de autoria de seu primo, o presidente da Casa, Paulo Siufi (PMDB), 46, assim que terminar o recesso na Câmara.

"Defendo os comerciantes da cidade. Se essa lei for sancionada, não vai poder ter loja mostrando cueca ou calcinha nem propaganda de protetores solar, com moça de biquíni. Estamos no século 21. A lei é muito abrangente. Se vai falar de produto erótico, tem que ver o conceito, disse Trad Filho à Folha.

Segundo o prefeito, a lei não faz sentido porque "nos dias de hoje a sexualidade é mais abordada, os adolescentes têm aulas e acesso à internet".

Já o vereador, para quem a "pornografia vicia mais do que a cocaína", afirma que os comerciantes de calcinhas e cuecas não devem se preocupar. "Isso é vestuário do dia-a-dia e é bom que se use. Se o prefeito fez essa interpretação é porque deve ter sido reprovado em interpretação de texto na escola."

No projeto, o vereador argumenta que a pornografia, exposta ao lado de "figurinhas e gibis que ainda preservam os valores da infância", reflete em "comportamentos sexuais difíceis de serem controlados".

Segundo ele, a pornografia é a "professora da educação sexual" das crianças, que, "a menos que ensinadas com cuidado", acreditarão que o "comportamento anormal" mostrado na pornografia é normal. Para Siufi, a exposição à pornografia pode causar "disfunções sexuais" no futuro e motivar casamentos instáveis e divórcios.

Josi Braga, 25, gerente de um sex shop de Campo Grande, diz que a lei é "absurda" e que a entrada de adolescentes já é proibida. "Não tem nada agressivo na vitrine, só fantasias. O público é justamente casais que querem variar a rotina."

Siufi diz ser alvo de polêmica criada pelo prefeito. "Sou pediatra, casado, tenho três filhos. Sei o que faço. A primeira relação das meninas é cada vez mais cedo por causa da erotização da sociedade. A gravidez precoce e a aids são problemas. Sou contra a censura, mas defendo os bons costumes."

Deixe seu Comentário

Leia Também

STJ
Quinta Turma dará mais publicidade aos processos levados em mesa para julgamento
BRASIL
Câmara pode votar Lei de Emergência Cultural na próxima terça-feira
BRASIL
Firjan Senai oferece cursos de aperfeiçoamento para todo o país
STJ
Juiz deverá aplicar medidas coercitivas a familiares que se recusam a fazer DNA, sejam ou não parte na investigação de paternidade
STF
Empresas optantes pelo Simples têm direito a imunidades em receitas decorrentes de exportação
MINISTRO
Weintraub: “tentam deturpar minha fala para desestabilizar a nação”
DIA MUNDIAL
Situação de stress social pode ser gatilho para quem tem esquizofrenia
ESTADO
Canil do Corpo de Bombeiros participa de ocorrências no interior e na capital
ESPORTE
Beach Handebol brasileiro busca alternativas para se manter no topo
INTERIOR
Com peças de Lego, alunas da UEMS criam robô que ajuda na prevenção do coronavírus

Mais Lidas

PANDEMIA
Números continuam aumentando e Dourados tem mais nove casos confirmados de coronavírus
TRAGÉDIA
Homem morre atropelado por rolo compactador
PANDEMIA
Dourados ultrapassa marca de 100 casos confirmados de coronavírus
DOURADOS
Servidor da PED é diagnosticado com coronavírus e outros agentes são afastados