Menu
Busca segunda, 19 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Laboratório aponta doping do ciclista Lance Armstrong

23 agosto 2005 - 07h52

O Laboratório Nacional de Detecção de Doping de Chatenay-Malabry, através de seu diretor Jacques de Ceaurriz, detectou a presença de EPO (eritropoietina) nas amostras de urina de 1999 do ciclista norte-americano Lance Armstrong. O atleta, que encerrou sua carreira esportiva neste anos após conquistar o heptacampeonato consecutivo da Volta da França, negou e disse que "jamais" tomou "drogas que pudessem melhorar os resultados".Ceaurriz afirmou que "não há nenhuma dúvida possível sobre a validade do resultado", embora as análises tenham sido realizadas cinco anos após terem sido tiradas as amostras. Ele assegurou que, ainda no caso de as amostras estragarem, "ou seja, de a EPO se degradar e ficar indetectável, a proteína permanece em bom estado".O médico revelou também que as análises, dadas a conhecer nesta terça-feira pelo jornal francês L"Equipe, foram feitas "para pesquisas científicas". Segundo o jornal de Paris, seis amostras de urina pertencentes a Armstrong tiveram resultados positivos.As análises de um conjunto de amostras anônimas conservadas das Voltas da França de 1998 e 1999 foram feitas a partir de dezembro do ano passado e não tinham intenção de descobrir ciclistas que haviam se dopado, mas afinar os critérios para a detecção de positivos e foi feito pelo laboratório francês em colaboração com a Agência Mundial Antidoping (AMA).O caráter meramente experimental do teste, e o fato de não existir a possibilidade de uma contra-análise, impedem que a justiça esportiva possa sancionar o corredor de forma retrospectiva.Armstrong classificou como "jornalismo de escândalo" as informações publicadas. "Mais uma vez, um jornal europeu relata que eu dei positivo por drogas que favorecem o rendimento", declarou em sua página de internet."O L"Equipe informa que minhas amostras de 1999 deram positivo. Infelizmente, a caça às bruxas continua e o artigo é outro mais do jornalismo sensacionalista", ressaltou o corredor."O jornal admite em seu próprio artigo que o método científico em questão tem falhas e que eu não tenho nenhum meio para defender-me. Eles dizem: não haverá nenhuma contra-análise nem perseguições regulamentares, no sentido estrito, já que os direitos da defesa não poderão ser respeitados", continuou.Em 1999 o teste de urina da EPO não existia. Foi a partir de abril de 2001 que a União Ciclista Internacional (UCI) começou a utilizar um novo método para a detecção da EPO.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
TCE-MS pede explicações sobre irregularidades de R$ 2,2 milhões em licitação de prefeitura
INTERNACIONAL
Ataques a tiros em dois estados deixam 6 mortos nos EUA
PRF prende dois e apreende cocaína avaliada em R$ 8 milhões na BR-163
POLÍCIA
PRF prende dois e apreende cocaína avaliada em R$ 8 milhões na BR-163
POLÍCIA
Adolescentes estouram janela de alojamento e fogem de Unei
PMA resgata macaca domesticada que foi abandonada por tutores
POLÍCIA
PMA resgata macaca domesticada que foi abandonada por tutores
POLÍCIA
MPE-MS alerta gestores sobre prática de novo golpe no WhatsApp
REGIÃO
Após comprometimento de 98% do pulmão, prefeito se recupera da Covid-19
POLÍCIA
Após desentendimento, menina de 10 anos sai de casa e fica sete horas desaparecida
POLÍCIA
Homem é morto com vários golpes de faca e assassino é preso horas depois
PANDEMIA
Dourados segue com 100% das UTIs Covid ocupadas e com fila de espera por leitos

Mais Lidas

ASSALTO
Mulher tem carro roubado ao parar no semáforo em Dourados
POLÍCIA
Irmãos morrem após serem atropelados por caminhonete em rodovia
DOURADOS
Interno morre após briga com companheiro de cela da PED
PED
Arma de fabricação caseira é encontra em cela de interno morto