Menu
Busca terça, 20 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Justiça absolve Naya pelo desabamento do Palace II

08 junho 2005 - 09h13

O empresário Sérgio Augusto Naya foi absolvido nesta terça-feira, em segunda instância, pela 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por cinco votos a zero, do crime de responsabilidade pelo desabamento do edifício Palace II, em 1998, que causou a morte de oito pessoas. O engenheiro responsável, Sérgio Murilo Domingues, também foi considerado inocente. A decisão manteve a sentença dada em primeira instância e anulou o acórdão da 5ª Câmara Criminal do TJ, que em 2002, ao julgar a apelação do Ministério Público, havia condenado os réus a dois anos e oito meses de prisão. Os desembargadores concluíram que, ao apelar da sentença que havia absolvido Naya, o Ministério Público desrespeitou o Código de Processo Penal e mudou indevidamente a classificação do crime de desabamento doloso - o prédio teria sido feito para cair - para culposo - os réus teriam agido com negligência, desatenção e descaso. Conforme ressaltou a relatora do processo, desembargadora Elizabeth Gregory, a alteração não pode ocorrer nos processos que chegam à 2ª instância. Ainda de acordo com Elizabeth, os laudos periciais não permitem afirmar que Naya e Domingues tivessem conhecimento de uma possível queda do edifício. "O laudo aponta que a causa do desabamento foi o erro de cálculo no dimensionamento dos pilares P4 e P44, e o erro de cálculo foi do projetista, que já foi julgado. Por sua vez, os peritos do Instituto Nacional de Tecnologia não foram específicos e nem demonstraram convicção quanto aos motivos do desabamento", justificou a desembargadora, ao afirmar que no juízo criminal não há espaço para incertezas. Vítimas se dizem chocadas com absolvição de Naya A Presidente da associação de vítimas do edifício Palace II, Rauliete Barbosa, declarou que ficou chocada na tarde desta terça-feira, ao saber da absolvição do ex-deputado Sérgio Naya. Rauliete disse que a decisão da Justiça pegou todos de surpresa, visto que ninguém esperava tamanha rapidez na decisão sobre a culpa de Sérgio Naya. "Deveriam ter essa rapidez para indenizar as vítimas. São 120 famílias que perderam tudo, sem contar os oito mortos. E o processo se arrasta há sete anos", lamentou Rauliete, acrescentando que, até agora, 81 famílias receberam apenas 10% das indenizações, em parcelas incertas. A presidente da Associação de Vítimas declarou ainda que vai aguardar que o Ministério Público recorra ao Superior Tribunal de Justiça, apelando à 3ª instância, e aguardar. Rauliete espera que a Justiça "seja tão rápida para indenizar as vítimas quanto foi para inocentar Naya".  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia encontra cocaína em chaleiras que iriam para a Espanha
PARAGUAI
Polícia encontra cocaína em chaleiras que iriam para a Espanha
ESTADOS UNIDOS
Júri declara ex-policial Derek Chauvin culpado pela morte de George Floyd
Casal é preso enquanto aplicava golpe em seguradora da fronteira
Nelsinho Trad fará requerimento para profissionais de transporte de pessoas
POLÍTICA
Nelsinho Trad fará requerimento para profissionais de transporte de pessoas
DOURADOS
Motociclista morre no HV 18 dias após sofrer acidente no centro
UFGD
Prazo para inscrever projetos de Iniciação Científica termina na próxima semana
MEIO AMBIENTE
PMA de Dourados captura família de gambá no Jardim Água Boa
CÂMARA
Deputados aprovam urgência de projeto para privatizar os Correios
Transportando 26 cavalos ilegalmente, idoso é preso com dólares e reais
REGIÃO
Presidente da Assomasul destaca emenda que cria o ICMS Educacional 

Mais Lidas

ASSALTO
Mulher tem carro roubado ao parar no semáforo em Dourados
POLÍCIA
Irmãos morrem após serem atropelados por caminhonete em rodovia
LOTERIAS
Mega-Sena premia uma aposta com R$ 40 milhões e 11 douradenses acertam a Quadra
DOURADOS/ITAPORÃ
Produtor rural morto em acidente na MS-156 voltava de aniversário em pesqueiro