Menu
Busca terça, 11 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Juíza deve liberar segurança privada em ação em MS

09 agosto 2004 - 08h05

A Justiça de Mato Grosso do Sul deve autorizar o uso de seguranças particulares para desocupar a fazenda Aruanã, invadida por 250 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra em maio de 2003, em Bonito."A decisão [de reintegração de posse] está há mais de um ano sem ser cumprida porque não vem o reforço policial", disse a juíza estadual Luciane Buriasco de Oliveira Mello, 28.A fazenda, de 1.400 hectares, pertence à Associação das Famílias para Unificação e Paz Mundial, entidade religiosa criada no Brasil pelo reverendo coreano Sun Myung Moon, 84."Eu disse que, se ele [o advogado de Moon] fizer o pedido, eu autorizo [o uso de seguranças]. Não tem problema nenhum."O advogado David Moura Olindo, 46, informou que serão contratados 150 homens de uma empresa de segurança de São Paulo. Ele não tinha escolhido qual. "Até quarta-feira no máximo os seguranças vão fazer a desocupação."Após Mello informar ao advogado que autorizaria o uso de seguranças particulares, o secretário estadual da Segurança Pública, Antônio Braga, mandou cem policiais militares para retirar os sem-terra da área ainda hoje."O despejo não foi realizado antes porque havia expectativa de que a área pudesse ser desapropriada pelo governo federal", justificou o secretário. Segundo a juíza, o uso de uma empresa de segurança foi idéia do advogado.Mello disse que o Tribunal de Justiça do Estado aceitou pedido de intervenção federal no Estado porque o governo não cumpriu a liminar de reintegração de posse. A intervenção será julgada no dia 18. Em agosto de 2003, o TJ aceitou pedido de intervenção, pois o governo não retirou sem-terra de área em Nova Alvorada do Sul.Na sexta, sem-terra e um grupo de 72 homens "arregimentados" pelo advogado da associação quase entraram em confronto na fazenda de Moon. Braga disse que mandou policiais para impedir confronto, o que foi confirmado por Olindo. A Agência Folha não conseguiu falar com o MST.Em Santa Catarina, cerca de 50 famílias ligadas ao MST invadiram área da indústria Chapecó. A Polícia Militar não havia recebido comunicado para cumprir reintegração de posse até ontem. A reportagem não localizou os responsáveis pela indústria. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARANAÍBA
Jovem mata ex-namorado da mãe a facadas após presenciar agressão
SENADO
CPI vai questionar negociações do Itamaraty para garantir cloroquina
ANHANDUÍ
Pedestre morre após ser atropelado por caminhão baú na BR-163
IMUNIZANTES
Saúde receberá 8,2 milhões de doses de vacina até sexta-feira
Homem que abusou da mulher é denunciado por estuprar a filha
FUTEBOL
Costa Rica vence Aquidaunense e retoma a liderança do Estadual
CRIME AMBIENTAL
Animais são abandonados, morrem e mulher é multada em R$ 4 mil
JUSTIÇA
Juiz determina que Carla Zambelli tire vídeo da canção 'Milla' do ar
CAPITAL
Homem morre após cair de três metros ao conferir estoque de loja
TJ/MS
Concurso Extrajudicial terá audiência pública no dia 27 de maio

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
INDÁPOLIS
Homem assassinado em distrito sofreu vários golpes de facão e teve mão decepada
DOURADOS
Juiz manda Câmara exonerar nomeados e realizar novo concurso público