quinta, 25 de abril de 2024
Dourados
22ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Jovem tetraplégico morre na França com a ajuda da mãe

26 setembro 2003 - 09h11

Um jovem tetraplégico, mudo e cego, cujo caso reabriu a polêmica sobre a eutanásia na França depois que sua mãe tentou ajudá-lo a morrer, morreu hoje em Berck-sur-mer (norte da França), disseram autoridades.Vincent Humbert, 21 anos, foi levado para uma unidade de reanimação na noite de quarta-feira (24), depois que sua mãe, Marie Humbert, 48 anos, tentou matá-lo injetando-lhe uma substância tóxica.Denunciada por um médico do hospital, Marie foi detida e posteriormente hospitalizada.O procurador da República declarou que uma investigação de rotina será aberta devido à morte de Vincent. A promotoria ordenou uma autópsia para determinar as causas da morte.A história da busca pela morte de Vincent, vítima de um acidente de carro há três anos, recebeu enorme publicidade em dezembro passado, quando ele escreveu uma carta ao presidente Jacques Chirac pedindo a descriminalização da eutanásia na França.Chirac disse ter lido a carta "com grande emoção" e entrou em contato com Vincent algumas vezes por telefone, mas não foi capaz de atender a seu pedido.Capaz de se comunicar pressionando o polegar direito na mão de outra pessoa, Vincent usou o método com um jornalista para escrever o livro de 188 páginas intitulado "Peço a você para morrer", que chegou às livrarias francesas pela primeira vez ontem."Eu nunca verei este livro porque eu morri em 24 de setembro de 2000 [...]. Desde aquele dia, eu não vivo. Me fazem viver. Sou mantido vivo. Para quem, para que, eu não sei. Tudo o que eu sei é que sou um morto-vivo, que nunca desejei esta falsa morte", escreveu Vincent.Marie, que desde o acidente do filho luta por seu direito de morrer, concedeu uma série de entrevistas na França no início da semana, afirmando que a morte de Vincent estava "programada", dando uma pista de que poderia coincidir com a publicação do livro.Ela disse ter levado alguns meses preparando a eutanásia do filho e que ele rejeitou a idéia de ir para um país como a Suíça, onde o procedimento é legal, porque não queria "fugir de seu país como um ladrão para morrer".Marie disse não ter medo de ser presa. "Perto da dor que tenho sentido por três anos vendo o sofrimento do meu filho, a prisão não é nada", declarou.As últimas palavras de Vincent em seu livro são um apelo para a compreensão de sua mãe."Não a julguem. O que ela fez para mim é certamente a mais bela prova de amor do mundo", afirmou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CLIMA

Quinta-feira tem previsão de sol e tempo seco em grande parte do Estado

Após alta na carne bovina, Dourados inicia a quinta com preços fixos no agro
COTAÇÃO

Após alta na carne bovina, Dourados inicia a quinta com preços fixos no agro

ECONOMIA

Regulamentação da reforma tributária prevê alíquota média de 26,5%

POLÍTICA

Sessão do Congresso Nacional sobre vetos presidenciais é adiada

ECONOMIA

Vacina tetravalente contra a gripe do Butantan terá verbas do BNDES

SAÚDE

Unidade Móvel do Hospital de Amor está em Coronel Sapucaia nesta semana

PESQUISA

A cada 8 minutos, uma mulher é vítima de estupro no país

CÂMARA DE DOURADOS

Marcio Pudim pede obras de asfalto, tubulação e quebra-molas em distritos

COMUNICAÇÃO

EBC passará a ter Comitê Editorial e de Programação

UEMS

Reclassificados em seleção por histórico escolar são convocados para matrícula

Mais Lidas

SENAR

Do Japão para Mato Grosso do Sul: filha assume legado do pai e se tornou pecuarista

COLISÃO

Mãe e criança morrem após colisão de caminhonete e carro na BR-163

DOURADOS

Concurso "Miss e Mister Indígena" acontece no próximo sábado na Jaguapiru

COTAÇÃO

Soja em alta; confira como iniciam os preços do agro nesta quarta