Menu
Busca sexta, 07 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Jornada extra dá a bancário direito a uma hora de intervalo

17 setembro 2004 - 12h48

O bancário que trabalha além da jornada de seis horas tem direito a uma hora de intervalo intrajornada. A decisão é da Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho, que determinou ao Banco Bradesco que pague a um ex-empregado, que trabalhava nove horas e quarenta e cinco minutos por dia, uma hora de intervalo para refeição. O acórdão seguiu o voto do relator, ministro Carlos Alberto Reis de Paula. O bancário foi contratado para a função de operador de alimentação de dados em outubro de 1988 e dispensado pelo Banco Bradesco em julho de 1997. O empregado entrou com ação na Justiça do Trabalho e alegou que, entre fevereiro de 1993 e setembro de 1997, cumpriu jornada diária de dez horas de trabalho, com intervalo de quinze minutos para lanche. Por isso, pediu o pagamento das horas extras realizadas e do intervalo mínimo de uma hora, devido aos empregados que trabalham mais de seis horas diárias (CLT, artigo 71, caput). A primeira instância determinou ao banco o pagamento de três horas e quarenta e cinco minutos como extras e seus reflexos, mas entendeu que não era devido o intervalo intrajornada de uma hora. O empregado recorreu ao Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, em Manaus, que negou provimento a seu recurso ordinário justificando que, “tendo a empresa sido condenada a pagar como extras todas as horas laboradas, além das seis horas normais do bancário, não há que se falar em pagamento de mais uma hora extra relativa ao intervalo intrajornada não gozado, eis que este já está incluído nas horas extras já deferidas”. Segundo os juízes do TRT, a concessão de mais uma hora fere o princípio da razoabilidade. No recurso de revista ao TST, o bancário pediu a reforma da decisão do TRT e alegou violação do artigo 71, parágrafo 4º da CLT. A lei dispõe que, quando o intervalo para repouso e alimentação não for concedido pelo empregador, ele ficará obrigado a remunerar essa hora com acréscimo de 50% sobre a hora normal de trabalho. A Terceira Turma do TST conheceu do recurso do empregado. Para o relator, o intervalo é devido ao empregado com jornada de mais de seis horas diárias, enquanto, no caso concreto, havia jornada de dez horas diárias, somente concedido intervalo de quinze minutos”. Com isso, ficou determinado ao Bradesco o pagamento do equivalente a uma hora de intervalo intrajornada descumprido.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem que sofreu queda de moto e morre no Hospital de Nova Andradina
ACIDENTE
Homem que sofreu queda de moto e morre no Hospital de Nova Andradina
TECNOLOGIA
WhatsApp vai limitar funções de contas que não aceitarem novas regras
Amigos fazem vaquinha para mãe recomeçar a vida ao lado dos 4 filhos
Agetran faz cerca de 400 abordagens na primeira blitz do Maio Amarelo
DOURADOS
Agetran faz cerca de 400 abordagens na primeira blitz do Maio Amarelo
NAVIRAÍ
Operação multa arrendatário em R$ 12 mil por incêndio em pastagem
IMPEACHMENT
Tribunal absolve governador de Santa Catarina, que reassumirá o cargo
PONTA PORÃ
Baleado, homem cruza fronteira, é socorrido por policiais e morre em hospital
Detran/MS realiza neste sábado mutirão para renovação de CNH
Boliviano líder de grupo atuava no tráfico de cocaína é extraditado ao Brasil
FUTEBOL
Costa Rica faz 3 a 0 no União/ABC e encerra turno do hexagonal na liderança

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher presa com armas, drogas e veículos mantinha relacionamento com interno da PED
DOURADOS
Pancadaria em motel termina na delegacia com três pessoas detidas
JÓQUEI CLUBE
Jovem é presa em Dourados com armamento de uso restrito, drogas e veículo clonado
DOURADOS
Carga de tijolos cai de caminhão em rotatória na Coronel Ponciano; veja vídeo